Odebrecht: 15 dias para provas da inocência de Lula serem destruídas

Por Romulus Maya, para o Duplo Expresso

  • Faz 5 meses (final de 2017) que o Duplo Expresso revelou, com base em depoimento exclusivo de fonte no TI da Odebrecht, que em junho de 2018 – ou seja, já no mês que vem – as provas da inocência do Presidente Lula seriam destruídas. Vimos cobrando, desde o ano passado, parlamentares a esse respeito. Diante de uma (até ali) inexplicável inação, às vezes – exasperados – fizemos isso até mesmo publicamente. De nada adiantou.
  • Nesta oportunidade, num último apelo aos parlamentares (nominalmente) “lulistas”, publicamos os requerimentos que fizemos (até aqui sozinhos), Provitimas e Duplo Expresso, não só à Procuradoria Geral da República mas também ao Ministério da Justiça. Neles pedimos (i) providências quanto ao documento que prova fraude processual por parte do esquema Moro; e também (ii) a sustação imediata do processo que culminará na destruição das provas que inocentam Lula.

*

Faz 5 meses (final de 2017) que o Duplo Expresso revelou, com base em depoimento exclusivo de fonte no TI da Odebrecht, que em junho de 2018 – ou seja, já no mês que vem – as provas da inocência do Presidente Lula seriam destruídas. De forma inapelável. Como explicamos em 22 de janeiro último:

(…)

A destruição – final! – de todas as provas, numa parceria Odebrecht/ Lava Jato (mais uma!)

A mudança do sistema integrado de Oracle para o SAP é um álibi para destruir informações que comprometem a Odebrecht e também terceiros que a empresa – em conjunto com a Lava Jato – deseja proteger. Em junho deste ano, caso nada seja feito para impedir a migração, as provas de toda a corrupção – nacional e internacional! – da Odebrecht serão destruídas de forma definitiva. Inapelavelmente.

Notem bem: no verso da moeda, também serão destruídas as provas da inocência de Lula!

De forma “incidental” (!), serão destruídas ainda, pari passu, as provas da omissão – deliberada? – dos “investigadores” (?) da Lava Jato em favor de aliados, bem como a fabricação de provas falsas contra os alvos prioritários da operação – como Lula. E é exatamente por isso que a Lava Jato – i.e., o braço brasileiro, aquele com jurisdição sobre a holding e os acionistas controladores – nada faz para impedir a “migração”. Isto é, a queima do arquivo! Na verdade, a Lava Jato está nisso junta com a Odebrecht. Afinal, são cúmplices no(s) crime(s)!

O sistema Oracle é americano. O SAP é alemão. O SAP é imune ao acesso não autorizado por parte dos órgãos de inteligência americanos. Como o SAP é muito mais caro, o motivo para a migração não foi a economia de recursos, mas sim um álibi para, na fase de migração, sumir com dados “sensíveis”.

A versão da Odebrecht de que a Oracle não seria “confiável” para cumprir com as exigências de compliance é balela! Ora, quem não foi “confiável” foi a Odebrecht, corrompendo autoridades em 3 ou 4 continentes! O sistema Oracle nada tem a ver com o uso que a Odebrecht lhe deu! O sistema só faz aquilo que o gestor determina. O sistema não faz censura moral, ética ou penal! Fosse “problemático” diante de supostas exigências de compliance, o sistema Oracle não seria o mais utilizado no mundo, ora!

Repetindo: a migração da Oracle para a SAP – alerta: que será completada em aproximadamente 4 meses! – visa a destruir, de forma definitiva, todas as provas (i) da corrupção da Odebrecht; e (ii) da farsa que é a “investigação” (sic), combinada, Lava Jato/ Odebrecht. E, subsidiariamente, fugir do monitoramento pela inteligência dos EUA.

(…)

 

Vimos cobrando, desde o ano passado, parlamentares a esse respeito. Na maioria das vezes de forma privada. Mas, diante de uma (até ali) inexplicável inação, às vezes – exasperados – fizemos isso também publicamente:

  • Vídeo de 19/dez/2018:

 

  • Notem que sequer ignorância pode ser alegada:

(apesar da indisfarçada careta ao ouvir o nosso nome, esperamos que a bem-intencionada jornalista não tenha ouvido muitos palavrões depois do fim daquela transmissão ao vivo. Afinal, ainda faltaria um mês a partir daquele 7/fev/2018 para que viesse a público o ataque  que o Duplo Expresso vinha sofrendo, nos bastidores, por parte de certa dupla de deputados)

 

De nada adiantou. Aliás, pelo contrário! Para nossa surpresa, o que veio foi um brutal ataque – inclusive com penas alugadas na ‘GloBosfera’ – contra o Duplo Expresso. Ou seja, o veículo que concretamente mais trouxe elementos para desmascarar a Lava Jato e, assim, ajudar Lula:

*

Bem… não tínhamos como saber – então – que esse fora, justamente, o nosso “pecado”: tentar ajudar Lula!

*

Quando faltavam apenas 90 dias para a destruição das provas da inocência de Lula, ou seja, há 2 meses, iniciamos uma contagem regressiva. Com ela encerramos todos os nossos programas, diários. Sempre instando – sem sucesso até aqui – parlamentares (nominalmente “aliados” de Lula) a tomarem uma atitude. Pois eis que hoje chegamos a (menos) 15 dias para a data fatal:

 

Nesta oportunidade, num último apelo aos parlamentares (nominalmente) “lulistas”, publicamos os requerimentos que fizemos (até aqui sozinhos), Provitimas e Duplo Expresso, não só à Procuradoria Geral da República mas também ao Ministério da Justiça. Neles pedimos (i) providências quanto ao documento que prova fraude processual por parte do esquema Moro; e também (ii) a sustação imediata do processo que culminará na destruição das provas que inocentam Lula:

  • (1) Pedido ao Ministério da Justiça de levantamento do sigilo sobre o trâmite do documento, que hoje serve para encobrir o crime de fraude processual de Moro e CIA.
  • (2) Negativa do Secretário Nacional de Justiça, alegando ser mero intermediário e recomendando que fizéssemos o pedido ao MPF.
  • (3) Requerimento, portanto, à Procuradoria Geral da República. Trata tanto do documento como da destruição das provas da inocência de Lula, requerendo a sustação imediata desse processo.
  • (4) Resposta da PGR, em que – pasmem! – informam terem encaminhado nosso pedido de providências à autora dos crimes: a Lava Jato (!)


*

Deboche!

E ameaça!

*

Fizemos portanto, Provitimas e Duplo Expresso, tudo o que estava ao nosso alcance.

– ONDE ESTÃO OS PARLAMENTARES “LULISTAS”?

*

Por fim, lembramos (6/mar/2018) o que deveriam ter feito nesses longos 6 meses (!). Aliás, quando Lula ainda estava solto:
(era esse o “problema”?)

Hipóteses que aventamos de uso político-administrativo do documento:

E.g., colhendo assinaturas para instalação de uma ‘CPI da toga’, formulando requerimento por escrito de pedido de providências à Procuradoria Geral da República, requerendo o original do documento do Duplo Expresso diretamente ao Ministério da Justiça, com o levantamento do sigilo.

*

*

*

Compartilhe – e dificulte a vida de quem quer se reeleger montado em (carcaça de) Lula:

*

*

*

*

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments