Infiltração: agora “advogados” de Moro, Nassif e Cafezinho detonam Lula e sua defesa

Da Redação do Duplo Expresso
Publicado 6/mar/2018 – 21:57
Atualizado 7/mar/2018 – 13:13 – com a esperança do fim da insanidade. A ver.

Pedimos desculpas ao Presidente Lula, aos seus advogados de defesa, ao Partido dos Trabalhadores e, principalmente, aos nossos seguidores, a quem prometêramos não mais cair em “polêmica” com os dois outros blogueiros que nos tem hostilizado. Prometêramos, isso sim, voltarmos à nossa prioridade maior: contribuir para a defesa do Presidente Lula esforçando-nos ao máximo para desmascarar a Lava Jato. Sim, descumpriremos a promessa com relação aos blogueiros. Mas tão somente porque o desmentido abaixo é fundamental, justamente, para a missão a que nos propusemos: detonar o esquema Sergio Moro.

Nos últimos dias, Miguel do Rosário e Luis Nassif vem fazendo defesa – dissimulada – de Moro. Redigem e disseminam textos cheios de furos, mas que visam a cobrir antiga mentira do juiz sobre “desconhecer” o endereço de Tacla Durán na Espanha. Com isso, os blogueiros cobrem também o respectivo crime de fraude processual, que ensejaria até mesmo a prisão cautelar do juiz.

Mais grave ainda, no caminho detonam, sem maiores problemas, a estratégia de defesa de Lula. Chegam mesmo a chamar indiretamente seus advogados de mentirosos!

*

É tarefa árdua, para apenas dois ativistas brasileiros escrevendo da Europa, desmontar as fake news que vem sendo produzidas em série, embora de forma atabalhoada, por células da Blogosfera. Suas motivações restam obscuras até aqui. Ontem pela manhã houve a pesada – porem vã – tentativa de assassinato de reputação fabricada por Luis Nassif mirando Romulus Maya. Fechando a parceria, Miguel do Rosário, o dono do site O Cafezinho, desferiu no fim da tarde mais um ataque violento contra o Duplo Expresso. E – mais importante – contra o documento que publicamos há exatamente uma semana.

Há, definitivamente, algo de podre no reino da Blogosfera – dita – “progressista”. A arremetida contra o Duplo Expresso, em modo kamikaze, acelerou-se tão logo publicamos a prova documental dos crimes de fraude processual cometidos por Sergio Moro.

Vigorasse a Lei no Brasil, tal documento ensejaria inclusive, desde já, a prisão cautelar do juiz. Contudo, para nossa surpresa, os ataques não vieram da Lava Jato. Quer dizer, ao menos não diretamente. Num primeiro momento vieram de dois deputados federais: Paulo Pimenta – o Líder da Bancada do PT na Câmara – e Wadih Damous, que fora deliberadamente elevado da condição de suplente, com gestões pessoais de Lula, para que pudesse usar seu conhecimento jurídico em favor da defesa do Presidente no Parlamento.

Diante do enorme desgaste de imagem que os Deputados sofreram com a sua investida febril contra dois blogueiros, em um segundo momento entenderam por bem terceirizar os ataques. Passaram a se valer de “parceiros” na Blogosfera (ou seria “Globosfera”?): Miguel do Rosário e Luis Nassif.

Ordem dada é ordem cumprida?

Desde então, os dois alternam-se numa competição para ver quem consegue se desmoralizar mais rapidamente diante do olhar atento dos (verdadeiros) apoiadores do Presidente Lula. Afinal, estão todos angustiados com uma percebida “apatia” nas ações em sua defesa. Atenção: apatia nas ações na esfera po-lí-ti-ca! E não na processual, confiada às competentes mãos do Dr. Cristiano Zanin (e equipe) e do Min. Sepúlveda Pertence.

Falando francamente: o problema está concentrado no Parlamento. E, mais especificamente, nos deputados a quem foi confiada a defesa dos interesses de Lula. Centralizam todas as iniciativas de uso po-lí-ti-co de material de prova que surja ou (i) beneficiando o Presidente Lula; ou (ii) desgastando a Lava Jato. E.g., colher assinaturas para instalação de uma ‘CPI da toga’, formular requerimento por escrito de pedido de providências à Procuradoria Geral da República, requerer o original do documento do Duplo Expresso diretamente ao Ministério da Justiça, com o levantamento do sigilo!

Todas as ações dessa natureza parecem estar sendo realizadas pro forma. Estranhamente, ao longo de meses, esses deputados ficaram inertes diante das inúmeras dicas que receberam de atores externos. Sem falsa modéstia, em grande medida do Duplo Expresso:

(i) situação “prisional” (fake) de Eduardo Cunha, acertada com Sergio Moro e o TRF-4;

(ii) a contrapartida: o acordo Moro/ Cunha para vetar o depoimento de Tacla Duran na CPMI da JBS;

(iii) o áudio da fonte no TI da Odebrecht detalhando como se deu a fraude na “investigação” (combinada) Lava Jato/ Odebrecht;

(iv) o relatório da empresa de perícia americana FRA comprovando que a Lava Jato sumiu com boa parte dos documentos dos bancos de dados da Odebrecht que lhe foram entregues;

(v) a iminente destruição – dentro de 86 dias – das provas da inocência do Presidente Lula, com a finalização da migração dos servidores da Odebrecht do sistema Oracle para o SAP;

(iv) a capacidade de que gozam os dois deputados que foram ter com Tacla Duran na Espanha de, usando a fé pública de que dispõem em virtude do cargo, dar ciência do seu endereço ao juiz Sergio Moro em ofício; e, finalmente,

(v) o documento: o pedido de cooperação – secreto – segundo o qual o MPF brasileiro tentou ouvir, clandestinamente, Tacla Duran na Espanha. Isso, enquanto Moro sistematicamente nega tal faculdade à Defesa do presidente Lula. Ou seja: trata-se de prova documental (A) do cerceamento de defesa – causa de nulidade do julgamento; e (B) do crime de fraude processual por parte de Sergio Moro, que sujeitar-lhe-ia ao cárcere imediato.

Com relação a esse último, o documento segue sendo esnobado pelos deputados que supostamente representam os interesses de Lula. Mais do que isso, ambos trabalham ativamente para ou (i) ridicularizar a sua importância; ou (ii) levantar dúvidas sobre a sua fidedignidade.

Diante do desgaste de imagem que causou a investida contra o Duplo Expresso e o documento, escalaram Luis Nassif e Miguel do Rosário como tropa de choque. Ontem, esse último publicou texto agressivo – no site O Cafezinho e também no GGN – negando peremptoriamente a premissa básica da hipótese de fraude processual aventada pelo Duplo Expresso.

I.e., o fato de, ao mesmo tempo:

(1) Moro negar a oitiva de Tacla Duran à defesa de Lula alegando desconhecer o seu endereço; e
(2) os procuradores secretamente requisitarem tal oitiva (i.e., somente para si), evidenciando a mentira no primeiro caso e o cerceamento deliberado do direito de defesa.

Miguel também produziu ontem um vídeo, ao vivo, em que repercutia esse seu texto contra o Duplo Expresso e o documento:

Sem ter dado nenhuma explicação, constatamos que o apagou hoje.

Ora, Miguel. Todos que assistiram ao vídeo – apagado hoje tanto por você como por Nassif dos seus respectivos canais no youtube – bem sabem a razão. A mudança de lado – dissimulada – pró-Lava Jato tinha ficado óbvia demais. Exaltado, inclusive com sua esposa gritando ao fundo, você se entregou excessivamente.

DESAFIO a Nassif e Miguel:

Resta ao menos o texto, prontamente difundido também por Luis Nassif:


– “Perna curta”? De fato! E Nassif provou isso duas vezes no mesmo dia!

Isto é, a versão alterada do artigo.

 

Versão que Miguel correu a fazer DEPOIS de ver vídeo ao vivo de ontem à noite, em que apontei as fragilidades – óbvias – do seu texto.

Ação:

 

Reação:

 

Luis Nassif, a quem falta ética, expôs ontem o meu sólido currículo, não foi mesmo? Especialização, dois mestrados e doutorado em Direito Internacional. Nas melhores universidades do mundo. Nassif, e não eu portanto, deu a carteirada. Pois agora tomo eu partido dela:

– É risível Miguel do Rosário (!) querer discutir cooperação jurídica internacional comigo!

Para que está feio! Quanto mais mexe, mais fede, Miguel!

Atentem para o grifo na imagem abaixo, contendo o principal “argumento” do blogueiro para “desqualificar” – por que tanto medo? – o documento do Duplo Expresso:

*

Ah, Miguel…

A internet – que nunca esquece e nada perdoa – mostrar-se-á especialmente cruel com você e com Nassif nesta data.

Voltemos – apenas! – 3 meses no tempo, para ver como, de fato, “mentira tem perna curta”:

– “Mercenário”

Sim, mentia então o juiz.

E mentem, hoje, ambos os blogueiros.

Por quê?

Por quem??

O pior de tudo: fazem defesa dissimulada de Sergio Moro, cobrindo a sua antiga mentira – bem como o respectivo crime de fraude processual. Mas, mais grave ainda, mostram não haver escrúpulos no caminho para entregarem a mercadoria. Assim, detonam, sem maiores problemas, a estratégia de defesa de Lula. Chegam mesmo a chamar indiretamente seus advogados de mentirosos!

Com a palavra, Rodrigo Tacla Durán e o Dr. Cristiano Zanin, em oitiva realizada diante de um tabelião no dia 12/dez/2017:

 

Com a palavra, o Presidente Lula:

*

Aviso: na sequência a seguir, depois do que ocorreu nos últimos dias, o nível de constrangimento do espectador beirará o insuportável.

O que poderia explicar o contraste entre o Miguel de dezembro e o de hoje?

Em tempo: os Wellington Calasans e Romulus Maya de então e os atuais permanecem rigorosamente os mesmos. I.e., fechados 100% com Lula “de A a Z”. E flagelando, sempre que possível com o seu trabalho, Sergio Moro.

*

Para concluir, repetimos questionamentos relevantes feitos ontem a Luis Nassif por Romulus Maya. Questionamentos cujas respostas devem vir, na verdade, dos quatro atores que arremeteram, de maneira desembestada, contra o Duplo Expresso, quando esse publicou a prova documental dos crimes de Sergio Moro: Paulo Pimenta, Wadih Damous, Luis Nassif e Miguel do Rosário.

– Por que os Deputados Wadih Damous e Paulo Pimenta – bem como esses Blogs aliados – tanto temem o documento do Duplo Expresso?

https://duploexpresso.com/wp-content/uploads/2018/03/word-image-5.jpeg

A ponto de romperem todos os escrúpulos e tentar – com mentiras grosseiras, como vemos aqui – assassinar a reputação de quem o publicou?

Há alguém pressionando para que partissem em ação tão atabalhoada, denotando desespero?

Se sim, quem?

A tabelinha Moro/ Eduardo Cunha de novo?

Em síntese, o documento do Duplo Expresso colocaria Sergio Moro na cadeia, cautelarmente. Hoje, houvesse Lei no Brasil. Já o documento dos deputados e de Nassif soltaria, imediatamente, o juiz do cárcere! É essa a “singela” diferença entre ambos!

Por fim, pergunta simples de responder – ou não:

– O documento que os Deputados e Nassif tanto se esforçaram para divulgar e fazer crer que era o mesmo do Duplo Expresso foi encaminhado ao juiz Sergio Moro por homem alinhado a si no Ministério da Justiça (golpista), o delegado da PF paranaense Isalino Antonio Giacomet Junior. Na verdade, são cúmplices: ambos orquestraram a fraude da “Carta Rogatória” fake, com o endereço incorreto de Tacla Duran, expedida com o único propósito de voltar sem resposta. E, assim, servir de álibi – forjado – do juiz.

– Se tal documento foi enviado por alguém alinhado a Moro ao próprio, como pode ter chegado às mãos dos Deputados?

– E às de Nassif?

– Quem foi a fonte?

– O homem de Moro no Ministério da Justiça?

– Ou o próprio juiz paranaense, Sergio Moro?

Por que Luis Nassif e Miguel do Rosário ajudam Sergio Moro e a Lava Jato na manobra diversionista – desesperada – de tentar dinamitar o Duplo Expresso e o documento que publicamos tão logo esse foi pro ar, no dia 26/fev/2018, às 16:52?

*

Citações: como um dia após o outro constrói a ironia

“A mentira tem perna curta”

“Dois picaretas, secretamente à serviço do golpe”

“Cabo Anselmo”

*

Malgrado o grande esforço diversionista, nós do Duplo Expresso não nos desviaremos do foco: a defesa de Lula!

Nem tampouco do documento que tanto temor tem infundido nas fontes (quem?) de Miguel do Rosário e Luis Nassif, “advogados” ad hoc de Sergio Moro.

*

*

*

P.S.: Miguel do Rosário volta à carga.

E à mesma “contradição” de dezembro para cá:

Versus…

Ou seja: Miguel agora, “renovado”, luta contra fatos para cobrir a mentira de Sérgio Moro!

E, assim, acusa Tacla Duran e o Dr. Cristiano Zanin de mentirem diante de um tabelião!

Quando exerciam importante ato processual – formal! – para a defesa do Presidente Lula!

 

Até quando será permitido ao Deputado Paulo Pimenta prejudicar Lula na tentativa de acobertar a sua omissão na (suposta) defesa político-administrativa do Presidente?

Ontem o Deputado chegou ao cúmulo de preparar uma cilada para o Ex-Ministro Eugênio Aragão, em transmissão ao vivo feita a partir da Liderança do PT na Câmara. Evidentemente, hoje explorada pelo parceiro Miguel do Rosário:

No meio da entrevista, Pimenta induz o Ministro a falar o óbvio – “não há bala de prata” PROCESSUAL para “matar a Lava Jato”. E age como se isso fosse algo que endossasse o comportamento, no mínimo “esquisito”, que tem tido desde que publicamos a prova documental dos crimes de Moro, no dia 26/fev/2018.

Ora, o Ministro falara o mesmo no Duplo Expresso na semana passada – provocado justamente por mimDEPOIS de examinar o documento que publicamos. Diferentemente da transmissão ao vivo de Paulo Pimenta, no Duplo Expresso não expomos autoridades, pessoas de respeito a quem tanto devemos, a “pegadinha”. Ainda mais em causa – exclusivamente – própria.

Pelo contrário: enviamos o artigo com o documento para que Eugênio o lesse na véspera, de forma a familiarizar-se com antecedência com a pauta. Além disso, nossas perguntas eram elaboradas, contextualizantes. Assim, é claro, como as ricas respostas do Ministro! De forma que não seria necessário, para respaldar a nossa posição, recortar uma frase solta, descontextualizada, e que diz o óbvio: “não há bala de prata PROCESSUAL para matar a Lava Jato”. Ora, o Judiciário sempre esteve fechado com Moro! Lula tomou de 5×0 hoje no STJ! E é justamente POR ISSO que os políticos com mandato, como Pimenta, não tem o direito de fugir da luta e se esconderem! Pior: fingindo defender Lula e, na realidade, sabotando-o!

Passemos, pois, à palavra DEFINITIVA do grande Ministro Eugênio. I.e., sem cilada e sem manipulação mal intencionada:

Min. 17:15:

“Enfim, eu devo lhe dizer que não tenho em relação ao sistema Judiciário qualquer tipo de esperança. Não tenho. Eu acho que isso é… se a gente por acaso em algum momento vai ter alguma vantagem para a defesa de Lula, isso é em função de circunstâncias. De circunstâncias POLÍTICAS, de avaliações POLÍTICAS de risco, mas em hipótese nenhuma pelo amor à Constituição, pelo amor às garantias fundamentais ali inscritas”.

*

Atenção: lutar por Lula é também lutar contra a campanha de diversionismo articulada pelos interesses de Sergio Moro contra o documento do Duplo Expresso, que cooptou Miguel do Rosário e Luis Nassif!

Por que Paulo Pimenta e Wadih Damous patrocinam isso?

E por que o Partido dos Trabalhadores ainda permite que os dois ajam livremente CONTRA LULA?

Permitem que os dois, desesperadamente, sigam tentando enterrar prova documental saudada pela defesa de Lula como bem-vinda! Ela que nos parabenizou, imediatamente, pelo “belo trabalho” após a publicação!

Minha gente, como vemos, o jogo é pesado!

Vejam o violento ataque perpetrado por Nassif contra Romulus ontem!

Vejam como Pimenta constrangeu e expôs o Ministro Aragão!

Vejam  que se permite que Pimenta faça em prejuízo – direto – de Lula!

Livre, nadando de braçada na Liderança do PT na Câmara! Sem ser molestado!

Segue livre para sequestra-la em atendimento a seus problemas pessoais – diante dos crescentes questionamentos acerca da sua (não) atuação que se recusa, peremptoriamente, a responder.

Em prejuízo da DEFESA DE LULA!

Inclusive a processual!

Meu Deus, qual é a prioridade do PT?!

Defender Lula e garantir a sua candidatura?

Ou dar cobertura a Paulo Pimenta para preservar a sua imagem?

O que ainda segura o enquadramento de Paulo Pimenta nessa questão?

Como sempre repetimos no Duplo Expresso, desde o início, num Brasil em que não há mais Lei, o único uso de um documento que PROVA, sim, cabalmente CRIME de SERGIO MORO – apesar da patética tentativa de Miguel do Rosário, agora “convertido”, de acobertar o juiz – seria o seu USO POLÍTICO-ADMINISTRATIVO.

Repetindo:

“E.g., colhendo assinaturas para instalação de uma ‘CPI da toga’, formulando requerimento por escrito de pedido de providências à Procuradoria Geral da República, requerendo o original do documento do Duplo Expresso diretamente ao Ministério da Justiça, com o levantamento do sigilo!”.

Por óbvio, isso teria que ser feito pelos deputados que centralizaram a defesa político-administrativa de Lula: Pimenta e Wadih.

Compreendem agora por que os dois – há uma semana (e agora até com “linhas auxiliares” na Blogosfera!) – tentam desesperadamente enterrar o documento que AJUDA O PRESIDENTE LULA?

E que foi SAUDADO POR SUA DEFESA?

*

P.P.S.: Espero que o que Nassif e Miguel do Rosário estejam ganhando para defender Sergio Moro – e atacar a defesa de Lula! – compense as dificuldades para dormirem à noite.

*

P.P.P.S.: Eduardo Cunha – o fim e o começo?

Eduardo Cunha…

Mais um nome, assim como Sergio Moro, que cai nas graças desse “novo” Miguel do Rosário desta semana…

Sim, porque a tal “fake news”, segundo ele, foi publicada por… O CAFEZINHO! Do DONO, FUNDADOR e EDITOR-CHEFE Miguel do Rosário!

*

Voltamos, portanto, ao banner de dezembro de 2018 (da época do “velho” Miguel):

A questão, apenas, é que ele carece de atualização. Afinal, há outras figuras da República – e da “Globosfera” – que dividem o cárcere com Sergio Moro.

(Obs: aprendemos a lição, Miguel. Pouco adianta apagar, hoje, esse artigo, que traz PROVAS da situação de “clandestino” de Eduardo Cunha EM BRASÍLIA. Inclusive com decisão colegiada do STF atestando a influência que o mesmo ainda mantinha na política nacional, permanecendo na capital. Tudo salvo em HTML e printado. A internet nunca esquece. E nada perdoa)

*

*

*

Audiovisual:

*

*

*

ATUALIZAÇÃO 7/mar/2018 – 13:13 – ACABARÁ, FINALMENTE, A INSANIDADE??

*

*

*

Compartilhe:

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.