Prepare-se – D.E. 23/jan/2020

Destaques:
(i) Romulus Maya faz a análise da conjuntura política.
(ii) Direto de Buenos Aires, o analista internacional Eduardo Jorge Vior comenta: “Albero Fernandez vai a Jerusalém. Para quê?”. Bônus: novidades no caso D’Alessio!
(iii) O historiador Mario Maestri lança a sua navalha, afiadíssima, sobre a política brasileira. Hoje com o tema: “Os 150 anos do arrasamento do Estado-nação paraguaio pelo Exército do Brasil”.
(iv) A socióloga Angelica Lovatto comenta: “2020 será decisivo: como atuar na política brasileira?”.

Ler mais

Hy-Brazil: queimem os barcos!

12 anos após a Crise de 2008: o Capitalismo ainda continua sem nenhum arranjo global capaz de lhe restituir um mínimo de funcionalidade, nenhum Breton Woods II à vista.
7 anos após Junho de 2013: com o Brasil ainda vagando em seu interregno, proliferam os sintomas mórbidos, as criaturas monstruosas e os fenômenos bizarros, sem qualquer projeto de país capaz de viabilizar uma Nação.

Ler mais

Reflexões sobre a criação do Estado Nacional: o arcaísmo brasileiro

Como entendeu claramente Bonifácio, trocou-se a nacionalidade de uma potência, que poderia ser a maior do mundo, o Brasil unido a Portugal, por um autoritarismo provinciano, pela visão estreita e tacanha do despotismo que vem da insegurança, da arrogância que camufla o medo, do complexo de vira-lata, que submete corpo e alma.
Leia e divulgue.

Ler mais

21 uma pinóia!

Claro fica o objetivo de fomentarem discussões do tipo “Quem foi mais cruel, Hitler ou Stalin?” e levar os deputados a se perderem na contagem de corpos produzidos por “comunistas, fascistas e nazistas”. Possivelmente nem entrará em pauta a questão do nazismo ser considerado uma ideologia genocida pela ONU. Não fará a menor diferença. Pela técnica da “pinça”, direita e esquerda se digladiarão nesses aspectos ultrassecundários, em vez de se aterem ao principal, que em se aprovando qualquer parte desse PL de Eduardo Bolsonaro, os próprios partidos comunistas se tornariam ilegais, a menos que abdicassem de seus nomes e símbolos já centenários.
Leia, comente e divulgue.

Ler mais

A economia de Guerra da Banca, a eterna farsante

Então a banca cria máscaras, uma de suas especialidades, e elas se mostram ora à esquerda ora fascistas, depende do lugar e da hora, ou nos árabes, islâmicos, ou nos chineses, nos terroristas contra adeptos da teologia da prosperidade, ou seja, apresenta simples e fáceis dualidades, para raciocínios primários, de sorte que os separe, antagonize e lance uns contra os outros; lucrando o terceiro, a banca, a mais esperta.
Leia e compartilhe.

Ler mais

Você vai entender a força de um apensamento, pra nunca mais esquecer

Mas talvez o ponto mais importante que se depreende desta exposição é que avançamos na guerra híbrida, e agora cada documento não traduz senão uma parte da informação. Não viveremos um fechamento de regime explícito, como quando o AI-5 foi exarado, em que um único ato continha as diretrizes gerais da repressão. Vistos isoladamente, cada PCR desarquivado atinge um aspecto do funcionamento de uma CPI; analisados em conjunto, porém, uma realidade bem mais opressiva e multifacetada se revela.
Leia e entenda.

Ler mais

América Latina e a ave de rapina do Norte: 2020 será decisivo

Destaques:
(i) Romulus Maya faz a análise da conjuntura política.
(ii) O economista Nildo Ouriques e Alejandro Acosta, editor do jornal “Gazeta Revolucionária”, trazem as últimas informações sobre a ofensiva do imperialismo nas Américas e o status dos movimentos dos povos latinos de resistência e enfrentamento à ave de rapina do Norte.

Ler mais

2020: o ano do #EvagelistãoDoPó? – D.E. 20/jan/2020

Destaques:
(i) Romulus Maya faz a análise da conjuntura política, hoje com ênfase nos sinais nas últimas semanas da associação, cada vez mais evidente, entre Sergio Moro, o General Heleno e o PCC. Infelizmente, 2020 começa com mais CQDs do D.E.
(ii) O cientista político Felipe Quintas comenta: “Não há cidadania sem soberania nacional”.
(iii) Luiz Ferreira Jr., advogado e comunicólogo, bate bola com Romulus Maya sobre os principais eventos destas primeiras semanas do ano e a “meta-análise ” dos expressonautas.

Ler mais

A maior batalha de todos os tempos, para deter a integração da Eurásia

Para os EUA é, realmente, batalha existencial – contra todo o processo de integração da Eurásia, as Novas Rotas da Seda, a parceria estratégica Rússia-China, aquelas armas hipersônicas dos russos, combinadas com diplomacia de alta qualidade, o profundo desgosto e sentimento de revolta contra as políticas dos EUA em todo o sul global, o já quase inevitável colapso do EUA-dólar. O que é certo é que o Império não se deixará empurrar em silêncio para o fundo da noite. Devemos todos estar preparados para a maior batalha de todos os tempos.

Ler mais

EUA: só o pó – branco – fecha as contas

Creio que já decorreram 30 anos, foi perto da queda da URSS, quando escrevi minhas primeiras considerações sobre as finanças internacionais.
O domínio estadunidense era nítido, a vitória da banca também, e o que se poderia prever? O caos. E foi por isso, pois o mundo parecia não ver, que escrevi.
Havia uma dívida gigantesca, muito superior aos ativos que a deveriam suportar, e, surpreendentemente, uma falta de controle dos EUA sobre o meio circulante de sua moeda, espalhada pelo mundo.
Leia, debata, compartilhe.

Ler mais

O satânico Projeto de Lei (PL) 1595/2019 – Como instaurar um regime de terror e medo no Brasil contemporâneo (parte 2)

O PL 1595/2019 também traz várias normas que possibilitarão a legalização/ampliação de um Estado de Vigilância Total sobre os cidadãos (digo “legalização” porque muito dessa vigilância já é feita ilegalmente pelas forças de segurança/inteligência brasileiras; com o PL a coisa vai se acirrar pesadamente). Leia e compartilhe, o povo brasileiro precisa saber disso.

Ler mais

A Era das Guerras Econômicas – origem, estrutura e razão no atual cenário global

A Escola de Guerra Econômica Francesa iniciada em meados de 1997, através da realização de estudos organizados por Henri Martre, concebe o atual cenário globalizado mundial como a Época ou Era da Guerra Econômica, muito antes do cenário atual de radicalização entre China e EUA que deixa isso patente. Ou seja, caracteriza o momento atual como de uma nova época em que a tensão entre um modelo que se vinha impondo de unipolaridade é tensionado com um atores de grande força econômica e militar de tal sorte que o atual cenário global deveria ser caracterizado estruturalmente como tempo de Guerra Econômica generalizada. 

Ler mais

“Guerra híbrida” (“do atraso”?): mais uma reação — no PT — ao D.E.

Precisamos muito falar de “guerra híbrida” no Brasil.
Quanto mais, melhor!
Mas não como “limited hangout”…
Uma tentativa de “fogo de encontro” para estancar questionamentos e hemorragia nas bases, cada vez mais ligadas em manipulações concertadas com o outro lado e “Telecatch”.
Assim, não vai ter jeito: o pessoal vai continuar vindo ao D.E., para saber o que REALMENTE acontece… rs

Ler mais

O satânico Projeto de Lei (PL) 1595/2019 – Como instaurar um regime de terror e medo no Brasil contemporâneo (parte 1)

Aqui vamos falar sobre um desses PLs, dos mais brutais e descarados: o PL 1595/2019. Isso porque falar dele mais uma vez faz sentido AGORA, NESTE MOMENTO (já estamos falando dele há um bom tempo, em diversas transmissões do DE e, mais especificamente, destrinchando-o em um DE de domingo, dia 20/10/2019).

Faz sentido falarmos urgentemente desse PL porque o seu autor, Major Vitor Hugo (deputado federal pelo PSL/GO) tuitou, no último dia 03 de janeiro de 2020, a informação de que está pressionando pela aprovação com urgência de seu satânico PL, dados os “recentes fatos internacionais” (em especial o ilegal, covarde e irresonsável assassinato, pelo imperialismo estadunidense, do general Qassem Suleimani, então chefe da Força Quds da Guarda Revolucionária iraniana).

Ler mais

Mais do que um crime, uma desonra

O período Bolsonaro talvez fique registrado como aquele em que a corrupção, os desvios, as farsas foram tão longe que foi necessária a ruptura geral, a construção do nunca concluído Estado Nacional Brasileiro para termos um país e uma cidadania. Dizer com orgulho, parodiando o poema de Maiakovski: sou um cidadão brasileiro.

Ler mais

A queda dum Anjo – A súbita mudança de Bento Albuquerque

Em outubro de 2017, o atual Ministro de Minas e Energia, o almirante de esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior – então diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha – concedeu entrevista à revista Carta Capital. O assunto era o Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil (Prosub), do qual o principal empreendimento era a construção do submarino nuclear.

Ler mais

A última razão do crime

As duas grandes guerras da primeira metade do século XX recolocaram este poder no outro lado do Atlântico e na proximidade dos Montes Urais. As finanças deixaram de dar as cartas e se subordinaram, por breves décadas, ao capital industrial, então indissociável do Estado-nação, à época comprometido com a compatibilização entre acumulação privada e cidadania.
Leia, debata, compartilhe.

Ler mais

Militarismo em países dependentes e subdesenvolvidos

Essa mesma visão de desenvolvimento interno para países em desenvolvimento ou dependentes político e economicamente deveria ser base para gestar entre os mesmos objetivos que visassem a ampliação de sua soberania a frear processos de lobbies intervencionistas (políticos e de desenvolvimento). Também deveria impulsionar uma nova “consciência” entre setores civis e militares (o que dependeria da articulação de ambos setores), gestando uma visão nova de desenvolvimento nacional, industrial, de inteligência e soberania nacional. Esta não é nossa realidade atual.
Leia, debata, compartilhe.

Ler mais

A Foreign Affairs e o retorno da (nunca abandonada) questão nacional

  Por Felipe Quintas   Os meios acadêmicos norte-americanos despertam para a atualidade e a importância da questão nacional.  

Ler mais

Um projeto de Revolução Brasileira no pré-1964

Imagine-se um brasileiro comum, vivendo em pleno ano de 1962, tomando contato com o seguinte texto: Por que os ricos não fazem greve?, seguido do texto Quem pode fazer a revolução no Brasil? E, ainda: Quem dará o golpe no Brasil?. Ou então, imagine-se em pleno ano de 1963, tomando contato com o texto: Como seria o Brasil socialista?, seguido de Como atua o imperialismo ianque? e depois Como são feitas as greves no Brasil? ou Que são as Ligas Camponesas?. Ou também os seguintes temas: Por que existem analfabetos no Brasil?, A Igreja está com o povo?, Quem faz as leis no Brasil?, De que morre o nosso povo?.

Ler mais

Argentina: à beira do tsunami social e político

O novo presidente da Argentina, Alberto Fernández (AF), anunciou com estardalhaço a “Lei de Solidariedade Social e Reativação Produtiva”.
Para enfrentar a pobreza, que já atingiu o 40% da população, AF pretende outorgar bolsas para alimentação, para os pobres com filhos, de 4.000 a 6.000 pesos, além de bônus para famílias com filhos, de 2.000 pesos.
Leia, compartilhe, debata.

Ler mais

Ataque ao “Porta dos Fundos”: canastrice, false flags e psi-zumbis

A melhor descrição desse vídeo talvez venha da ironia do escritor Antonio Prata: “Sei que é ingenuidade minha, mas ainda aguardo a revelação de que o atentado do Porta dos Fundos era uma piada deles mesmos só para lança a piada mor: o vídeo dos integralistas carioquistas sotaquistas de neopentecostalistas avec monty python no úrtimo”.

Ler mais

Para onde vai o Chile?

Mais de 200 mil pessoas permanecem diariamente em protestas permanentes. Existem milhares de ações que não são relatadas.
Embora a situação objetiva tenda a não ser animadora como uma perspectiva real de triunfo, a menos que ocorra um evento de desequilíbrio. Esta seria a entrada em cena em massa da classe trabalhadora.

Ler mais

Narcoprimaveras, técnicas de guerra de comunicação e lawfare continental

Cada vez mais fica clara em toda a região a relação de operações similares de guerra de comunicação, desinformação, e operações de lawfare (o escândalo da Odebrecht foi operado em diversos países da região e atingiram distintas figuras políticas no continente).

Agora a guerra legal, lawfare, ampliam-se para além da perseguição de figuras centrais da esquerda local, como nos casos de Lula da Silva, Cristina de Kirchner e recentemente Evo Morales com apoio de organismos internacionais. Não é por acaso que o golpe boliviano ocorreu meses depois do governo boliviano apontar para um acordo de beneficiamento de lítio com participação conjunta de capital alemão e colaboração chinesa.

Ler mais