Aprenda tudo sobre “macrocriminalidade”. Palestrantes com experiência prática

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

Particularmente, sempre achei estranha a homenagem aos mortos. Por isso no lugar de homenagem póstuma, vamos celebrar o sucesso e render homenagens aos “Heróis da Lava Jato”, esse Dream Team (norte-americano) que iniciou a revolução a partir da operação que acabou com a corrupção no Brasil. Se hoje temos este país maravilhoso, devemos isso aos nossos “novos heróis”.

No lugar da crítica, uma “mãozinha” aos “heróis brasileiros”. Esses nossos “heróis” farão palestras sobre a “macrocriminalidade”. Imaginou? Você no mesmo ambiente que Sérgio Moro, Marcelo Bretas, Deltan Dallagnol, Erika Marena, Marcelo Valeixo, Gabriela Hardt, Carolina Lebbos, Igor Romário, João Pedro Gebran e outros nomes que estarão agrupados, em Curitiba? Você e toda a linha de frente da Lava Jato?

Parece sonho? Mas isso será possível! Eles são tão sofisticados e tão queridos que ganharam fama internacional. Nos EUA, por exemplo, são vistos como “personalidades influentes”. Um seminário assim, com tantas “feras”, merece um slogan em inglês: “Dream come true!”. O seu sonho será transformado em realidade.

Você e os “novos heróis brasileiros”. A entrada é simbólica! Varia de 60 a 170 reais. E numa data que mudará a nossa história: 13 de maio. Eles vão apresentar os novos métodos de “abolição da escravatura”, pela via do extermínio do preto pobre ou do pobre preto, desculpe se pareceu redundância.

Como tantos empregos foram gerados e como as empresas brasileiras ganharam com o combate aos “maiores casos de corrupção da nossa história”, faço aqui um apelo à PETROBRAS e até ao BANESTADO (In memoriam) que patrocinem este evento.

O Governo do Rio de Janeiro também tem obrigação de ser grato por tudo que Bretas, Lava Jato, Dallagnol e tantos outros “heróis” fizeram com a indústria pesada e de petróleo e gás naquele estado brasileiro. Este estado que hoje goza da segurança fardada nos morros e com Wilson José Witzel, mais conhecido como Wilson Witzel, o advogado, ex-juiz federal, ex-fuzileiro naval como o seu atual governador. Um “homem santo” filiado ao Partido Social Cristão e que vai revogar o 5° Mandamento Cristão.

No lugar de músicos, poetas, artistas, etc. o Brasil mostra que consegue dar vida à “letra fria da Lei” e no “nosso país que está protegido da corrupção e da ameaça comunista bolivariana” os “ídolos” são os juízes, desembargadores, policiais que, juntos, vão ensinar a você tudo o que você precisa saber sobre “macrocriminalidade”, literalmente, com a autoridade de quem tem experiência prática no assunto.

Digamos que você seja “meio desligado” e que deseja conhecer um pouco sobre os palestrantes. Também nisso darei uma “mãozinha”. Para que você não chegue num ambiente repleto de “heróis” e “pague o mico” de desconhecer a contribuição de – pelo menos – alguns deles, vamos aos mais famosos.

Sérgio Moro – esta lista não poderia começar “tão bem”. Não é preciso dizer muito sobre este “herói nacional”, elogiado até mesmo por Fernando Haddad do PT. Ele soube, como poucos, aproveitar a oportunidade criada pela “Presidenta Honesta”, Dilma Housseff e o fiel escudeiro “Zé” Cardozo: a Lava Jato. O resto você já sabe: prendeu “o chefe do maior esquema de corrupção do Brasil, Lula”; fortaleceu a PETROBRAS e toda a indústria pesada brasileira e gerou tantos empregos.

Agora, como prova do seu amor ao Brasil e aos brasileiros, luta pela aprovação de leis que irão fazer o nosso país ficar ainda melhor do que ele já conseguiu até aqui.

Mais informações sobre este herói, neste link: https://duploexpresso.com/?p=102043

Deltan Dallagnol – Conhecido mundialmente como “o rei do powerpoint”, “DD”, nome carinhoso, só para os íntimos, revelado pelo advogado Tacla Durán é um exemplo vivo para quem quer aprender “macrocriminalidade”. Ele provou que a PETROBRAS estava prestes a quebrar “por causa da roubalheira de 40 milhões” e criou um fundo (na verdade para cada empresa ou investigação ele criou um fundo) de 2,5 bilhões de dólares. Somente um homem tão fiel a Jesus poderia repetir o “milagre da multiplicação”.

Saiba mais sobre este “herói” neste link: https://duploexpresso.com/?p=91854

Erika Marena – A delegada Érika Marena é da escola dos “heróis de Curitiba”. Já atuou no caso Banestado com o “herói dos heróis”, o então juiz Sérgio Moro. É criativa! A escolha do nome “Lava Jato” decorreu do batizado dela.

Sabe tudo sobre prisões espetaculosas, vazamentos, prisões baseadas em palavras de delatores e tem a convicção de que é maior do que a nossa Constituição. Numa das suas atuações mais “brilhantes”, Marena montou uma ação numa universidade, incriminou e prendeu o Reitor Cancellier.

Saiba mais sobre esta “heroína” neste link: https://duploexpresso.com/?p=96542

Marcelo Bretas – Difícil saber se estamos a falar sobre um “herói” ou a “reencarnação de Jesus”. O milagre de ressuscitar os mortos tem sido praticado com muita frequência por este “homem de Deus”. Cabral, por exemplo, é sempre acionado por ele quando é preciso mostrar que pode fazer um morto viver outra vez. Provedor da família, já conquistou cargo importante para a irmã por conta do apoio que deu ao “também homem de Deus” Witzel. Paes também já foi apresentado como prova do seu milagre de ressuscitar os mortos. E por ouvir as orações de Witzel, ajudou este “homem de fé” chegar ao governo do Rio de Janeiro. Pretende chegar à Prefeitura do Rio de Janeiro.

Saiba mais sobre este “herói” neste link: https://duploexpresso.com/?p=96656

Agora que os mais importantes estão apresentados, vamos conhecer – de verdade – o submundo da nata do crime.

Sabemos todos que palestras e seminários têm sido usados para a lavagem de dinheiro. Eu gostaria muito que apenas pela via da ironia fosse possível fazer o povo brasileiro despertar sobre os riscos que essas figuras nefastas causam ao nosso país e ao povo brasileiro. A Lava Jato e alguns tentáculos do Ministério Público e da Polícia Federal formam hoje o maior esquema de corrupção do mundo.

Seria o mais sofisticado se não fosse tão explícito, descarado. Com a sociedade anônima de uma imprensa corrupta e de uma oposição política refém dos próprios crimes, Essa turma de “ilustres palestrantes” assalta o nosso país, ajuda na espoliação e ainda tem na retarguarda o aparato militar das Forças Armadas.

Em qual país sério Moro, Dallagnol, Witzel, Bretas, Marena , o desembargador do TRF4 Gebran Neto – aquele que afirmou que “a Lava Jato não precisava se submeter as regras comuns”, etc. teriam vida fora da cadeia? Ministério da Justiça,  Coaf, Polícia Federal, etc. todos num esquema de institucionalização do crime organizado.

A simples intenção de criarem uma “Fundação Lava Jato” (com direito a posse do roubo da Rodonorte, Odebrecht, PETROBRAS, etc.) e acertos de delação premiada, já denunciados por Tacla Durán, seria motivo de protestos em qualquer país onde o povo se respeita. 

Até quando vamos ter que tolerar esse Poder Paralelo? Quem é que vai dizer ao povo que o poder do voto está a ser substituído por este Partido da Polícia? Como esses Fora da lei podem representar a Lei e a Justiça? Quem vai resgatar de volta o roubo deles contra o nosso país, num assalto de ladrões de galinha?

Quem vai chamar o povo para as ruas para dizer que aquilo que Lula chamou de “Criança Esperança de Dallagnol” é na verdade a institucionalização do assalto aos brasileiros? Nenhuma empresa, nem mesmo os bancos, lucram como este “fundo” criado por estes bandidos de toga, farda e “caneta da Lei”.

Como num cartel de drogas, esses filhotes da “Madrinha da Lava Jato”, Dilma Rousseff, criaram um poder paralelo. Para piorar, todos sabem que são reféns do doleiro Dário Messer, tema denunciado aqui mesmo no Duplo Expresso em tantos outros textos e programas.

Como mafiosos, esses “palestrantes” ganham a vida e fazem furtuna através de chantagens, falsificação de provas, torturas físicas e mentais e ainda criam mecanismos (importados dos EUA) para ganhar dinheiro, como o caso das delações. 

Se inclinarmos para os parentes e aderentes, além do exemplo da irmã de Bretas, temos a esposa de Moro e o padrinho de casamento do casal como provas concretas de que neste Brasil da Lava Jato “tá tudo dominado”.

Precisamos reagir! Não existem líderes! Temos que resgatar o Brasil e os nossos direitos de cidadãos. Isso é urgente! Cruzar os braços pode ser um importante passo? Pode! Qualquer coisa que barre o avanço deste Estado corroído pelo crime organizado por Moro e os seus comparsas, sob ordens dos EUA através das suas células no Brasil, entre elas a Globo e alguns quadros da política que elogiam esta aberração chamada Lava Jato.

“This is the right time” (Lisa Stansfield)

“A sua opinião é muito importante para nós” (Operadora de Telemarketing)

Assista ao vídeo e compartilhe com os seus contatos.

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.