A farsa da Lava Jato com o doleiro Dario Me$$er: o Duplo Expresso avisou!

Por Romulus Maya, para o Duplo Expresso
Publicado em 3/mai/2018 – 13:50
Atualizado em 3/mai/2018 – 21:21

  • Sim, o Duplo Expresso avisou… e desde 2016. Culminando na publicação do artigo “Sergio Moro & Dario Messer, o doleiro: o elo ‘perdido’ – e explosivo – ligando Lava Jato e Bane$tado“, em 7/jan/2018.
  • Moro/ Bretas/ EUA visam não apenas a se blindarem contra a possibilidade de traições – no governo Temer/ PMDB/ PSDB, no STF/ STJ, na Globo, na Avenida Paulista e… no “PT JUDICIÁRIO” (e no “PT com rabo preso”) – como também a garantir a consecução do seu objetivo político maior nos processos – leia-se “delenda Lula, delenda PT ” – quando os recursos começam a chegar a Brasília (onde passa a haver choques com o STF e o STJ).
    (mais: “delenda bois de piranha no PSDB/ PMDB/ ‘Centrão'”)
  • Bônus: Moro e Bretas (e EUA) podem ainda estar fartos da chantagem de Eduardo Cunha – e associados. Resolveram então desarmá-los, controlando a fonte primária do dossiê “Banestado”. O custo de imagem da blindagem a Cunha – uma cortesia do Duplo Expresso – pode ter se tornado caro demais. Pegam os ácidos limões que o Duplo Expresso atirou (Cunha & Messer) – até aqui com exclusividade (por que será?) – e fazem uma limonada.
    (será “limodada suíça”?)
  • Se alguém ainda acreditava no sucesso dos recursos de Lula em Brasília e colocava aí (ingenuamente) as suas fichas na luta contra o Golpe…
  • Precisa desenhar, Lula?
    Precisa desenhar, (ala não-traíra do) PT?
    Precisa desenhar, bois de piranha da direita?
  • Então a gente desenha…

*

Resumo audiovisual:

*

Tão convencidos sempre estivemos da sua relevância que a hashtag #DarioMesser está na descrição dos nossos programas, todos os dias:

*

MAS…

  • ATENÇÃO: a entrada de Dario Messer – NOS PROCESSOS! – da Lava Jato, i.e., oficialmente, por certo foi costurada em comum acordo por BRETAS, MORO e… o próprio MESSER!
    (que tem Moro como refém mais ilustre)
  • Sem esquecer do patrono de todos eles: os EUA.
  • Com isso, os operadores dos interesses dos EUA no Brasil – Moro e Bretas – passam a ter à disposição uma “cooperação” à la carte – selecionadíssima! – contra quem vier a contrariar os seus interesses.
  • Isso porque Messer operou para (1) todos os donos de meios de comunicação; (2) todo o PIB – agro, industrial e FINANÇA; (3) igrejas/ tráfico de drogas (tubarões e não “aviõezinhos”).
  • … e…
  • (4) membros do Judiciário e do Ministério Público, incluindo Ministros de Tribunais Superiores – STJ e STF! – e da PGR.
  • … e…
  • (5) TODOS os grandes partidos políticos do Brasil.
  • Assim, Moro/ Bretas/ EUA visam não apenas a se blindarem contra a possibilidade de traições – no governo Temer/ PMDB/ PSDB, no STF/ STJ, na Globo, na Avenida Paulista e… no “PT JUDICIÁRIO” (e no “PT com rabo preso”) – como também a garantir a consecução do seu objetivo político maior nos processos – leia-se “delenda Lula, delenda PT ” – quando os recursos começam a chegar a Brasília (onde passa a haver choques com o STF e o STJ).
    (mais: “delenda bois de piranha no PSDB/ PMDB/ ‘Centrão'”)
  • Ou seja, se alguém ainda acreditava no sucesso dos recursos de Lula em Brasília e colocava aí (ingenuamente) as suas fichas na luta contra o Golpe…

*

“EXTRADIÇÃO” DO PARAGUAI – SÓ QUE NÃO

  • A aposta do DuplEx é que eventual pedido de extradição será negado pelo Paraguai, “por não haver reciprocidade possível na extradição de nacional por parte do Brasil”. Dario Messer é, além de brasileiro e israelense, paraguaio. O Paraguai extradita nacionais. No entanto, o Brasil não pode reciprocar, por expressa vedação constitucional.
  • Por óbvio, o Acordo sobre Extradição do Mercosul prevê essa exceção brasileira (o país é o seu principal membro) e permite, nesse caso, que os demais países tampouco extraditem seus nacionais, pela falta de reciprocidade.
  • Em caso de negativa, subsiste a obrigação do país que nega a extradição de levar a cabo o processo no lugar do país que pedia a extradição:

    Denegación Facultativa de Extradición
    ARTÍCULO 11 Nacionalidad
    1. La nacionalidad de la persona reclamada no podrá ser invocada para denegar la extradición, SALVO QUE UNA DISPOSICIÓN CONSTITUCIONAL ESTABLEZCA LO CONTRARIO.
    2. Los Estados Partes que no contemplen una disposición de igual naturaleza que la prevista en el párrafo anterior PODRÁN DENEGARLE LA EXTRADICIÓN DE SUS NACIONALES.
    3. En las hipótesis de los párrafos anteriores EL ESTADO PARTE QUE DENIEGUE LA EXTRADICIÓN DEBERÁ JUZGAR A LA PERSONA RECLAMADA y mantener informado al otro Estado Parte acerca del juicio, así como remitirle copia de la sentencia una vez que aquél finalice.
    4. A los efectos de este Artículo, la condición de nacional se determinará por la legislación del Estado Parte requerido vigente en el momento en que se solicite la extradición, siempre que lanacionalidad no hubiere sido adquirida con el propósito fraudulento de impedir la extradición.

  • Ou seja: eventual “delação” de Messer será literalmente – pausa para o riso – uma falsificação paraguaia (!)
  • Aliás, eventual “prisão” de Messer no Paraguai seria tão genuína quanto a de Eduardo Cunha (!) – e pelos MESMOS motivos.
    (quer dizer, pela graça do mesmo – valioso – DOSSIÊ!)

*

OUTRA POSSIBILIDADE, NÃO EXCLUDENTE

  • Moro e Bretas (e EUA) podem ainda estar fartos da chantagem de Eduardo Cunha – e associados.
  • O custo de imagem da blindagem a Cunha – uma cortesia do Duplo Expresso – pode ter se tornado caro demais.
  • Resolveram então desarmá-lo, controlando a fonte primária do dossiê “Banestado”.
  • Assim, passam a “poder” reescrever – a 6 mãos – a História. No presente!
  • Pegam os ácidos limões que o Duplo Expresso atirou (Cunha & Messer) – até aqui com exclusividade (por que será?) – e fazem uma limonada.
    (será “limodada suíça”?)
  • Moro, por exemplo, desapareceria da narrativa.
  • Com Dario Messer finalmente reciprocando o favor de Moro, que o fez desaparecer do Banestado.
  • Capisce?

*

COMO É TEDIOSO ESTAR SEMPRE – TÃO – NA FRENTE…

 

  • Abre o olho, Eduardo Cunha!

*

SINAIS

  • Messer é – simples assim – “sócio-proprietário” do Paraguai:

 

  • A Globo, que deveria estar apavorada se eventual delação de Messer fosse “cheia”, está na verdade jogando confete para a armação do trio Moro/ Bretas/ Messer (EUA):

 

*

  • Precisa desenhar, Lula?

 

  • Precisa desenhar, (ala não-traíra do) PT?

 

  • Precisa desenhar, bois de piranha da direita?

*

Se precisa, então a gente desenha:

“Matadouro”

*

*

*

P.S.: não esperem uma “contra-narrativa” a respeito de Messer lá na “Central do Plano B”…
Saberá (o tão “sumido”) Daniel Dantas o porquê?
Em tempo: quem nos acompanha sabe que foi justamente ao publicarmos o artigo sobre Messer, naquele 7 de janeiro, que o Brasil 247 parou de mencionar o Duplo Expresso…
rs

*

*

*

COMPARTILHE:

*

*

*

*

ATUALIZAÇÃO 17:37 – “C.Q.D.”

(1) 

(…)

(…)

(…)

*

(2)

*

(3) “Agora podem me chamar de ToffoDi do Moro”

*

(4)

 

*

*

*

CONTINUAÇÃO EM:

*

*

*

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.