“GloBosfera” ameaça com “horror” para empurrar Haddad-Ciro – e enterrar (literalmente?) Lula

Por Romulus Maya, para o Duplo Expresso

  • Trilha sugerida para o post:

 

  • Colocando Ciro na berlinda Nassif em realidade joga o Coronel de Sobral-CE às feras, já que todos os que se mantêm fiéis a Lula – a maioria – encontram-se totalmente incendiados. Muy amigo, Nassif! Pinta Ciro como a hiena oportunista que ri diante da carcaça de Lula, quando na verdade, pela via retórica da contraposição a um “bom moço”, quer impulsionar o “Plano B” – Fernando Haddad. Haddad… o Plano B de B’ola nas costas – nas costas de Lula e do povão; “B” de B’ancos; e, pior de tudo, “B” de B’astardo… do Golpe!

 

  • Desafiando lógica que a nós resta clara – “rei posto, rei morto” – bem como todas as abundantes evidências de ser transnacional o comando do Golpe, articulistas do quilate do Professor Wanderley Guilherme dos Santos e Ricardo Cappelli limitam essa que é uma verdadeira guerra de sobrevivência do Brasil enquanto ente soberano a uma mera briga paroquial entre esquerda e direita tupiniquins.

 

  • Círculo dos traidores no PT: mais uma vez “a verdade chegou primeiro”, via Duplo Expresso. O recibo – agressivo – passado pela tropa de choque do grão-mestre do círculo traidor, José Eduardo Cardozo, mostra que mais uma vez acertamos… no olho.

 

  • A traição está exposta. A GloBosfera está nua. Em vista disso, é de se perguntar de que adianta o Senador Lindbergh Farias, ainda afastado da maioridade política, ir ao Conversa Afiada externar a sua justa indignação diante do escândalo ocorrido em São Bernardo. Apenas para vê-la canalizada por Paulo Henrique Amorim em favor de Ciro Gomes. E, incrível, em desfavor do próprio Lula! Ai ai ai…

 

  • P.S. com uma dúvida: ao que visa, no jogo, Rui Costa Pimenta, do PCO? Certamente não escapa a alguém com tamanha capacidade analítica a valiosa credibilidade que o Brasil 247 – a descarada central do “Plano B” – busca auferir junto ao público de esquerda mantendo a sua presença lá.

*

Sim, está manjado. No entanto, legítimo representante da GloBosfera, aquela imprensa (dita) “progressista”, minoritária, (mas…) que opera com a imprensa golpista, hegemônica, para a manipulação – conjunta! – do mercado de opinião (tática da pinça), Luis Nassif insiste no recurso ao susto com o “grande horror” Joaquim Barbosa e ao aceno com o “horror menor” Ciro Gomes.

Mas…

Colocando-o na berlinda, neste momento, Nassif em realidade joga o Coronel de Sobral-CE às feras, já que todos os que se mantêm fiéis a Lula – e é a maioria – encontram-se totalmente incendiados. Muy amigo, Nassif! Pinta Ciro como a hiena oportunista que ri diante da carcaça de Lula…

Quando na verdade…

Bem… quando na verdade, pela via retórica da contraposição a um “bom moço”, Nassif quer impulsionar o “Plano B” – Fernando Haddad. Haddad que é, em realidade, o “Plano A” de Nassif. Sim, Haddad… o Plano B de B’ola nas costas – nas costas de Lula e do povão; “B” de B’ancos; e, pior de tudo, “B” de B’astardo do Golpe!

 

Desafiando lógica que a nós resta clara – “rei posto, rei morto“…

 

… bem como todas as abundantes evidências de ser transnacional o comando do Golpe – em sofisticada modalidade “PPP” (Finança + Deep State americano), com plano bem claro traçado para o Brasil do “futuro” (que repete o passado)…

 

… articulistas do quilate do Professor Wanderley Guilherme dos Santos e Ricardo Cappelli limitam essa que é uma verdadeira guerra de sobrevivência do Brasil enquanto ente soberano a uma briga paroquial! A uma novela das 20h de Aguinaldo Silva, naquele Nordeste cenográfico que só existe no Projac. Um auto em que além do padre, do prefeito e do coronel, às vezes aparecem personagens alegóricos: “frente unida de esquerda” e “esperança”. Nesse auto, falta apenas quem não pode comprar ingresso: o povo descalço. Presos à dimensão paroquial da disputa – paróquia essa fortuitamente descolada, para fins de análise, de um mundo em que já não se brinca: bombardeia-se a Síria como prenúncio de uma possível terceira guerra mundial – sustentam Wanderly e Cappelli que para Lula o melhor seria aderir, o quanto antes, ao Plano B. Ou melhor, tal qual Paulo Henrique Amorim, esses parecem nutrir maior simpatia pelo plano “FH-C”, na variante com Ciro Gomes na cabeça de chapa.

*

No entanto, tal pressão para que Lula cometa haraquiri – em si mas também, por tabela, nos pobres e na soberania brasileira – indicando, desde já, Fernando Haddad como candidato (solo ou no “Plano FH-C”) – conta agora com um novo obstáculo: a prova documental – audiovisual! – da existência de um círculo de traidores no PT.

 

Esses vinham, desde o início, mesmerizando a liderança política do partido com uma prometida redenção judicial – que por óbvio, tal qual Godot, nunca veio.

E que não virá!

Ora, as ordens vêm de D.C. e de Wall St. – e não de Carminha “tesouradas flagradas” Lúcia!

Mas…

Mais uma vez “a verdade chegou primeiro”, via Duplo Expresso. Pela causa, aceitamos de bom grado, novamente, levar chumbo. Sem maiores problemas: é para isso que estamos aqui. O recibo – agressivo – passado pela tropa de choque do grão-mestre do círculo traidor, José Eduardo Cardozo, mostra que mais uma vez acertamos… no olho. E, pior ainda para eles, isso tem feito todos reconsiderarem as motivações dos ataques pregressos ao Duplo Expresso. Ataques que, curiosamente, se deram nos momentos em que, com muito trabalho (e sem nenhuma remuneração para além de nossas próprias consciências), logramos trazer fatos – trabalhados em detalhes – que poderiam ter balançado o jogo em favor de Lula:

(i) a revelação do acordo Cunha-Moro para excluir Tacla Duran do Relatório da CPMI da JBS;

(ii) o respectivo pagamento: a situação (não!) “prisional” de Eduardo Cunha;

(iii) o áudio-bomba de fonte no TI da Odebrecht, revelando a série de fraudes e simulações na “investigação” (combinada) Odebrecht/ Lava Jato;

(iv) a revelação de como Eduardo Cunha opera Sergio Moro e de como o maior doleiro do Brasil, Dario Messer (protegido da CIA e do Mossad), mantém o “juiz” no bolso (Bane$tado!).

(v) a sugestão passada diretamente à defesa de Lula (ainda em dezembro) – e articulada na Suíça por nós mesmos – para que o ex-Presidente processasse a Odebrecht aqui por infâmia e obtivesse assim acesso aos documentos, o que é até o momento barrado pelo esquema Sergio Moro;

(vi) a revelação do relatório elaborado pela empresa americana – FRA – que extraiu tais documentos dos servidores da Odebrecht, evidenciando que a Lava Jato mente ao dizer não poder acessar o MyWebDay, sistema em que a Odebrecht lançava sua contabilidade paralela. Pior: tal relatório prova que a Lava Jato sumiu com, ao menos, 3 mil documentos recebidos da FRA!

(vii) a publicação de prova documental do crime de fraude processual praticado pelo esquema Sergio Moro contra Lula, com relação à oitiva de Tacla Duran. O que, surpreendentemente (mas nem tanto mais agora…) nos trouxe a onda de ataques mais pérfida vinda de células do PT – e dos seus respectivos e$quema$ na GloBosfera;

(viii) a revelação de que o círculo de traidores no PT – com José Eduardo Cardozo à frente – minava de dentro a resistência em São Bernardo do Campo, jogando em dobradinha com a pinça: imprensa golpista + GloBosfera.

(ix) a revelação de que o círculo de traidores no PT, receoso depois de sua exposição cabal, joga tudo na definição – imediata – de Haddad como príncipe-herdeiro. Para tentar viabilizar tal manobra, tentam excluir dos entendimentos do comando da resistência as bases, que se mantêm fieis a Lula: sindicatos e movimentos sociais. Para não falar dos (milhões de) Zé da esquina, esses nunca consultados em reuniões de cúpula, não é mesmo?

 

A traição está exposta.

A GloBosfera está nua.

Em vista disso, é de se perguntar de que adianta o Senador Lindbergh Farias ir ao Conversa Afiada externar a sua justa indignação diante do escândalo ocorrido em São Bernardo. Apenas para vê-la canalizada por Paulo Henrique Amorim em favor de Ciro Gomes. E, incrível, em desfavor do próprio Lula!

 

Ai ai ai…. mais esperteza (e menos afobamento “juvenil”), Senador!

Aproxime-se da maioridade política e liberte-se da (compreensível) contaminação do seu juízo por antigos laços afetivos para com potenciais figuras paternas. Um dos marcadores da madurez é justamente estar pronto para constatar que “papai” não é herói romântico! Reconsidere, então, os reais motivos que levaram aos ataques ferinos contra o Duplo Expresso por ocasião da publicação do documento que prova crimes de Sergio Moro. Pergunte-se o que motivou parlamentares do seu partido a tentar, então, destruir a nós – e não a Sergio Moro!

Oi?!

Em vez de indignar-se com isso, o Sr. ficou bravo foi com a nossa “ousadia”:

– “Insolentes”, recusamo-nos a nos deixar matar – e calados (!)

Ora, Senador, não foram os que nos atacaram então os mesmos que, com sua “atuação heterodoxa”, tanta indignação causaram no Sr. em São Bernardo do Campo?

Não foram os mesmos “30 advogados” da assessoria a respaldar (por ação ou omissão) a fraude de Cardozo que tentaram convencer a todos – i.e., todos os não-lobotomizados no partido que não compraram a acusação patética de sermos “agentes da CIA” (!) – de que a briga com os dois deputados “guerreiros” em torno do documento do Duplo Expresso decorreria, tão somente, de uma alegada “briga de egos” (!)?

Convenientemente, desviando por completo o foco do documento?

Da discussão de fundo?

Ora, Senador!

Tática manjadíssima!

Tanto lá, com relação ao documento, como cá, com relação à fraude de Cardozo em São Bernardo, ignorância jurídica nenhum deles poderá alegar!

O Sr. é líder da bancada no Senado, certo?

Exija explicações dos seus subordinados para ambos os “lapsos técnicos”!

Lula está preso!

Qual a prioridade na sua luta, Senador?

A nossa, no Duplo Expresso, conhecemos…

Mais que isso: provamos!

Ontem e hoje!

*

Anos atrás, em algo que aponta para uma constante busca intelectual por referências masculinas mais velhas que Freud saberá explicar, o Sr. dizia com olhos cintilantes – ao próprio – que “Nassif era o maior analista da política Brasileira”, não é mesmo?

Pois veja que conselho mais esse dublê de “figura paterna” tem para passar ao Sr. desta vez:

(e também a Lula – o PRESO!
Esse que conta agora com apenas uma última bala no tambor do revólver, depois de diversos tiros n’água.
I.e., a – derradeira! – ameaça de impasse institucional: melar a eleição de cartas marcadas)

Peça 4 – os argumentos contra e a favor da candidatura de Lula

Há três propostas de atuação das esquerdas.

Um grupo, mais realista, duvida das condições de governabilidade no caso de eleição de um candidato de esquerda. Supõe que, ante a vitória de um nome de esquerda, o arco do golpe encontraria de novo seu ponto de convergência e se recomporia para inviabilizar o governo. A volta da democracia seria um processo lento, que teria mais a ganhar investindo no mito Lula e transformando sua libertação na bandeira central, inclusive com repercussão internacional. Ou seja, deixando a direita se desmilinguir por esforço próprio.

O segundo grupo aposta no aliancismo. Nesse caso, o caminho seria fechar uma aliança com Ciro Gomes e apostar em sua capacidade de ampliar o arco de alianças, como forma de reduzir o antipetismo alucinante que impulsiona as classes médias e, através dela, o Judiciário, Ministério Público às Forças Armadas.

Há um terceiro grupo, mais barulhento e com expressão apenas em alguns segmentos das redes sociais, supondo que Lula deveria partir para o confronto. São os radicais de Facebook, sem vínculos com a realidade.

 

[Romulus Maya: ai, o recalque, Mr. DeMille!

 

Ai, o recalque da GloBosfera contra o “Davi” Duplo Expresso.
E olha que Luis Nassif em particular falou bastante do de FHC para com Lula, hein!
Deve ser duro perder o poder de monopólio – mesmo que de nicho – e de conduzir uma “boiada” acrítica.
Aliás, menções ao “Facebook” não são gratuitas: tem pavor – já expresso várias vezes – da autonomização do “público” (sic) com as redes sociais da web 3.0.
Como Gloria Swanson, de “O Crepúsculo dos Deuses”, não aceita a diluição do “estrelato” de outrora. Ter virado mais um na multidão.
Saiu o cinema mudo? Pois seguiu-lhe, depois, a coluna – de papel – na Folha.
Algo p/conversar c/desafeto Otavinho Frias/ Folha de S.Paulo?
Pimenta no dos outros é refresco!

 

 

Em tempo: vejam que não sou eu quem vai atrás!

*

 

 

 

Para Nassif, “Romulus” – no do Otavinho – é refresco:

 

Sobre os artigos esdrúxulos no Estadão e o editorial do Otavinho na Folha, reproduzo comentário que fiz mais cedo nas redes sociais:

“Essa foto foi um flagrante ontem na redação da Folha de SP.

-constatação após giro na timeline do twitter: maior sequela do enterro do golpe será orgulho (ainda mais) ferido da imprensa familiar e seus colunistas.

-não fazem nem acontecem mais…

-editorial de Otavinho reconhecendo que não há base para impeachment mas exigindo ‘renúncia já’ dá peninha…

-cinema bom é sempre ótima pedida para escapar da realidade adversa por algumas horas.

-mas se recomenda que as Glorias Swansons da imprensa familiar não vejam “Crepúsculo dos Deuses” antes de ajustar antidepressivo com psiquiatra”.

Vamos medicar logo os editorialistas e colunistas para deixar a fala: “Mr. Demille, Mr. Demille… I’m ready for my closeup” apenas para a interpretação trágica de Gloria Swanson.

Não perceberam eles ou resistem a aceitar que o calendário passou. Não estamos mais nos anos 90. A mídia familiar, reverbera, acentua, exacerba, mas não define a pauta]

 

Continua Nassif a lição a Lindbergh (e Gleisi):

Confesso minha incapacidade, neste momento, em avaliar a melhor alternativa. O ideal seria uma aliança de centro-esquerda, com setores conservadores legalistas, e com aqueles que entenderam o supremo risco do fator Bolsonaro.

Mas não consigo vislumbrar movimentos nessa direção. Do lado do PT, as novas lideranças, Gleisi Hofmann e Lindbergh Farias, precisariam trocar a armadura de guerreiros de redes sociais pela de estrategistas políticos.

 

[Romulus Maya: tradução – “traiam Lula e adiram, para já, a Haddad. Pensem nos próprios pescoços”.
Pensem nos próprios pescoços??
Se ao menos isso…
“Assim como Lula antes, deem uma chance a promessas (incobráveis…) de não-perseguição pela Juristocracia – todas elas transmitidas pelo (nunca convidado) J.E. Cardozo e prontamente avalizadas por Haddad, o Plano B – de B’astardo do Golpe.
Esqueçam o fim de Lula!
Com vocês será diferente…
São gente como a gente, não?
Afinal, têm nível superior…
Gleisi até loura é!”]

*

*

Ah-rá! – “Plano B” de “B’rimo “Haddad”!

*

DEZEMBRO de 2017:

*

Vendo essa nova investida de Nassif em favor do “Brimo” – por contraste – lembrei-me de comentário preciso de Nina Lima dias atrás, no Duplo Expresso de 13/abr/2018:

Olá Romulus e WC, se não viram, vejam a publicação do Valor (reproduzida no GGN) sobre o PT abrindo mão da candidatura de Lula, em favor de Ciro ou Joaquim Barbosa (kkkk), mas ainda tendo Haddad como opção como vice.

Fake news pura!!

Quais são os objetivos?
1. Creio que é criar instabilidade/cizania no PT – porque penso que Gleisi e a turma d e Lula de A a Z deu um chega pra lá na turma do plano B, depois da clara traição na questão da prisão de Lula. Ficou tão clara a traição, que acho que essa turma perdeu terreno dentro do PT. Daí vem essa fake news para abrir rachadura (através da guerra semiótica) na narrativa agora cada vez mais forte de Lula Livre, Lula Presidente.
2. Desmobilizar a militância, fazer crer que não adianta, já é jogo perdido. Porque, ao contrário do que essa turma esperava, com a prisão de Lula a militância cerrou fronteiras no apoio ao plano Lula Livre Lula presidente, muito porque percebeu a traição, tb a injustiça, mas sobretudo por consciência/intuição de que ou é Lula ou é Lula para lutar contra o golpe e a destruição do Brasil. Para o golpe (e traidores) é necessário desestabilizar e desestimular essa militância;

Ainda na publicação (como publicado no GGN),entra a mensagem subliminar do Plano B. Esta subliminaridade é reforçada pela estratégia da sutileza, do contraste e da força de imagens, que eu venho percebendo na blogosfera. Assim, “ameaça-se” a militância com duas opções de “fazer medo”: Barbosa (horror maior) e Ciro (horror menor), para estabelecer o contraste e o repúdio; apresenta-se sutilmente um nome de pouco horror, quem? Haddad, mesmo que como vice. Mas, a mensagem maior – subliminar – que se quer passar é aquela da imagem: Lula e Haddad juntos em uma foto de campanha. Precisa desenhar?

Ou seja: diante de uma quadro de “Horror”(Barbosa e Ciro), e de derrota, subliminarmente se sugere um nom e que, mesmo que não seja o preferido (Haddad), ao menos se apresentaria como um alívio diante do quadro de “horror” apresentado à militância. A sugestão dele como vice, faz qualquer um perguntar: “já que é assim, porque não ele como candidato”? Melhor do que Ciro (que ficou queimado com a militância) e do que o mais que rejeitado, Barbosa.

Não é apenas no GGN que percebi isto. Até mesmo com Eduardo Guimarães. Numa de suas últimas postagens, anunciando que Lula ia receber a família, a imagem que ilustrava o post contava com quem? Com D Mariza, Dilma e??? Haddad!!! Ou seja: ele lá (e mesmo Dilma – acho que para disfarçar) sem relação nenhuma com a mensagem do post.

Parece tudo tão absurdo e insensato, que às vezes, fico pensado se não sou eu quem está imaginando coisas.

*

Como diz (o Cirista) PHA, “pano rápido”!

*

*

*

P.S.: ainda busco compreender ao que visa, no jogo, Rui Costa Pimenta com o seu processo de “mainstreaming”, mal traduzido como “popularização”. O Presidente do PCO gradualmente passa de bom grado do hype gauchista, de nicho, pro arco mais amplo do pop “vermelho-farofa” da GloBosfera. É certo que holofotes são sempre bem-vindos. Ainda mais em período eleitoral. Mas certamente não escapa a alguém com tamanha capacidade analítica a valiosa credibilidade que o Brasil 247 – a descarada central do Plano B – busca auferir junto ao público de esquerda mantendo a sua presença lá. De notar, ademais, que conquanto critique – no genérico – “alas” no PT favoráveis ao Plano B, Rui nunca dirigiu um desses petardos diretamente a Fernando Haddad. Em verdade, salvo engano, não o ouvi mencionar o nome sequer uma vez nos últimos meses. Curioso.

*

*

*

Os pontos aqui abordados foram – extensamente – desenvolvidos, junto ao parceiro Wellington Calasans, no Duplo Expresso de hoje:

*

*

*

Compartilhe:

 

 


*

*

*

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.