Eugenio Aragão: enquanto “#LulaLivre” der lucro, Lula seguirá preso!

Publicado 14/mai/2019 – 19:32
Atualizado 15/mai/2019 – 10:05 – debate (final)

Ah, a inveja…

Ah, a hipocrisia…

Ah, esse “telecatch”…

Pois o Duplo Expresso não perdoa. E, para azar deles, temos memória!

(e links e prints e…)

Eugenio Aragão: enquanto “#LulaLivre” der lucro, Lula seguirá preso!

Por Romulus Maya


 

Antes, no twitter:

 

Mas como é cara de pau Eugenio Aragão, no Twitter: ataca a promessa de vaga no STF a Moro, feita por Bolsonaro.

Diz que Moro se vendeu por “carguinho de Ministro”.

É verdade.

Mas quem tem telhado de vidro não joga pedra no do vizinho, certo?

Ora, Aragão também “se vendeu por carguinho”…

E várias vezes.

Ao menos:

(1) Ainda no início do ano passado, Aragão vendeu-se pelo cargo de Conselheiro da República de…

… Michel Temer!

Sim, é isso mesmo que você leu: o Ministro da Justiça da “president-a golpeada” – mais que “aceitar” – fez lobby e acertou o seu preço para ser Conselheiro do…

… “presidente golpeador“!

*

Ajuda muito na narrativa de que “foi golpe”, não é mesmo?

Pois é…

*

Aliás, olha mais uma enorme ajuda à narrativa de “foi golpe” aqui:

*

No caso, Eugenio Aragão vendeu-se ao “DJ Paul Pepper“, líder do PT na Câmara, e entrou na cota da Minoria na Casa no Conselho da República.

De novo: de Michel Temer!

Em troca, entregou um artigo virulento, publicado no DCM (e em pool por toda a “GloBo$fera”), atacando o Duplo Expresso.

Além de entregar, também, um constrangedor desmentido em uma live do próprio “DJ” ao que ele mesmo havia dito – ao vivo – no nosso programa, apenas 5 dias antes, sobre o valor do documento que prova crime de Sérgio Moro levantado por nós – com muita dificuldade – na Espanha (fevereiro de 2018).
Sim, aquele documento que podia ajudar Lula e que, “inexplicavelmente”, motivou a deflagração da tentativa de ERRADICAÇÃO do Duplo Expresso do início do ano passado. Operação essa tocada, pelas sombras, pelo “DJ Paul Pepper”, usando toda a máquina e recursos a sua disposição.

*

Da água para o vinho

– Antes de conseguir “carguinho”: “não vou me meter nessa briga de vocês” (E. Aragão)

(…)

(Obs.: prints publicados com autorização do próprio)

 

– Depois de Aragão conseguir “carguinho”, viramos “pistoleiros a serviço da direita” (!)

(…)

 

– Batom na cueca? Apenas seis dias (!) depois, eis que sai a indicação de Aragão para um “carguinho”, entregue por um (grato?) “DJ Paul Pepper”:

 

Ah, pois nos escoramos “no seu depoimento”, sim, Aragão!

Verba volant

(palavras voam)

Especialmente na boca de alguns…

“Não vou me meter nessa briga de vocês”, não é mesmo?

E, no entanto, apenas 5 dias (!) depois, eis que surge o – real – pistoleiro político

… e pistoleiro político de aluguel!

(ou seria pistoleiro à venda?
Por “carguinho”?)

Sim, palavras voam…

Mas os vídeos – como os prints – são eternos!

Sim, eu sei: coisas de Millennial… talvez mais difícil para alguns tiozões de assimilar…

De “‘União das esquerdas’: Duplo Expresso está fechado com Lula de A a Z, Eugênio Aragão” (10/mar/2018):

Com um reparo, ainda, ao que diz em seu texto nos criticando: não usamos as suas palavras para “desqualificar” a atuação dos Deputados em questão. Utilizamos as mesmas, isto sim, para qualificar o nosso trabalho. Ou seja, para qualificar o documento que, depois de 3 meses, conseguimos. E o qual, como Aragão bem sabe, prova crime de Sergio Moro. E que, no Brasil atual, só se presta ao uso POLÍTICO, como bem observa o próprio:

Min. 17:15:

“Enfim, eu devo lhe dizer que não tenho em relação ao sistema Judiciário qualquer tipo de esperança. Não tenho. Eu acho que isso é… se a gente por acaso em algum momento vai ter alguma vantagem para a defesa de Lula, isso é em função de circunstâncias. De circunstâncias POLÍTICAS, de avaliações POLÍTICAS de risco, mas em hipótese nenhuma pelo amor à Constituição, pelo amor às garantias fundamentais ali inscritas”.

São os Deputados que “desqualificam” a si mesmos, ao se recusarem a agir concretamente em defesa de Lula. E sem explicarem as suas motivações. Tudo o que fizemos foi estragar-lhes o álibi para a inação. Fazendo cobranças públicas e – pior de tudo – trazendo à baila, na semana passada, a prova documental de crime de Sergio Moro. Essa, não apenas ignorada mas, mais que isso, verdadeiramente colocada no “Index” pelos dois Deputados:

https://duploexpresso.com/wp-content/uploads/2018/03/word-image-5.jpeg

*

(2) Depois, ainda no ano passado, o mesmo Eugenio Aragão acertou a – mesmíssima – promessa de vaga no STF com o rival de Bolsonaro, Fernando Haddad.

Em troca (?), atuando como advogado da coligação no TSE, agiu (junto com Haddad) de forma dissimulada – mas clara e comprovada (inclusive em petição à Corte) – contra a manutenção da candidatura de Lula e em favor da sua substituição, o quanto antes, por…

… Fernando Haddad.

Sim, é isso mesmo: os advogados “de defesa” (?) – Aragão e Haddad – ganhavam mais com a derrota do que com a vitória do “seu” cliente!

*

Conflito de interesse?

Ora, não existe esse conceito no chamado “PT Jurídico”!

*

Aliás, fica a dúvida: trata-se “apenas” de conflito de interesse?

Ou chegaria a patrocínio infiel, Art. 355 do Código… PENAL?

*

Ver exposição, extremamente detalhada, a esse respeito da socióloga Thais Moya, que seguiu de perto o processo no TSE:

 

Ver, ainda, “‘Civilização contra a barbárie’: a versão 13.0 do Golpe” (25/set/2018):

Se havia alguma dúvida, o sincericídio de Eugênio Aragão em entrevista coletiva naquela semana a sepulta de forma inapelável:

Note-se que tal tabelinha vinha operando desde o início. E fez-se primordial, inclusive, no fim de semana em que se registrou a tal “chapa triplex”, com Haddad de Vice temporário e Manuela de definitiva. A tal “determinação” da Justiça Eleitoral para que o registro fosse concluído até a meia noite do domingo para segunda-feira, sob pena de “a chapa não ser registrada”, deveu-se muito mais ao discurso que Aragão vendeu aos dirigentes do que propriamente aos termos exatos do pronunciamento do TSE.

*

(3) Anos antes, típico “tuiuiú” do MPF, Aragão foi ainda o articulador de Rodrigo Janot como PGR de Dilma, fazendo a mesma desconvidar (!) a grande Ela Wiecko, já escolhida e (até mesmo!) cientificada.

Usou sua entrada no PT e lobby palaciano para virar a indicação.

Assumidamente, inclusive.

*

Pensemos um pouco:

Teria havido Lava Jato com a brava Ela Wiecko como PGR?

Aliás, teria havido Golpe?

*

Pois é…

No acerto com Janot – e Cardozo/ Dilma – Aragão ganharia o que em troca?

Adivinhem?

Pois sim: uma “vaguinha no STF”!

*

Ver, mais uma vez, “‘Civilização contra a barbárie’: a versão 13.0 do Golpe” (25/set/2018):

Bem… oxalá ao menos Eugênio Aragão possa finalmente ser recompensado por um para sempre agradecido “Presidente Haddad” com uma cadeira no STF. Afinal, há muito ele se bate por uma. Para isso, celebrou até mesmo pacto com o maior dos verdugos do PT na PGR, Rodrigo Janot, cujos termos garantiram que esse viesse a ser o PGR, no lugar da escolha original de Dilma, a de todo correta, ponderada e sólida Ela Wiecko. O próprio Eugênio deu publicamente uma versão, água com açúcar, sobre as suas gestões para que tal troca se concretizasse.

Talvez, essa mudança de peça individual no tabuleiro do jogo tenha sido, juntamente ao fato de Dilma forçar a sua candidatura à reeleição em 2014 no lugar da volta de Lula, aquela que mais peso teve para determinar o fim que levou o ex-Presidente.

(e o Brasil)

Parabéns, Eugênio Aragão!

*

Haja cara de pau. Sim, Moro “vendeu-se por carguinho”. O problema é que, se isso é pecado, toda a Brasília vai para o inferno. Inclusive quem ora o acusa: Eugenio Aragão.

*

Aliás, traição também leva ao inferno?

Quem sabe o misterioso marido de Raquel Dodge (essa também afiançada por Aragão em artigos quando de sua nomeação!), o americano Bradley Dodge, notório (mas – quase – invisível) espião da CIA (ver aqui, aqui e aqui), saiba a resposta.

E tenha, até mesmo, a lista com os nomes daqueles que devem, na qualidade de traidores, descer ao Hades…

*

*

*

PS: Para “perder” no TSE, Aragão levou – i.e., declarado – quase 1 milhão de Reais do financiamento eleitoral, público, pago pelo PT, como honorários advocatícios.

A quarta fatura mais cara da campanha, segundo o site do TSE:

*

*

*

P.P.S.: Aragão, tendo sido marcado na minha postagem no Twitter denunciando a sua hipocrisia – e também a sua ponta de inveja de Sergio Moro, que teve sucesso onde ele falhou – viu, não gostou e me bloqueou.

Eis print-ostentação, com o respectivo… recibo passado (😍):

 

Aragão tomou, portanto, ciência.

Poderia, assim, esclarecer se há alguma coisa errada nas informações acima, não é mesmo?

Ficamos no aguardo.

😉

*

O recibo e a (não) malandragem:

*

Conclusão:

– Minha gente, enquanto “#LulaLivre” der lucro (a eles!), Lula seguirá preso: trata-se da vaca leiteira do “PT Jurídico”!

Aguardem que ainda vem aí a “vaquinha virtual da progressão de regime” (#SóQueNão!). Mote: “Lula pode sair da cadeia ainda hoje! Só depende de você, que se diz apoiador dele, ser realmente generoso e abrir a sua carteira!”

Anotem:

*

*

*

Atualização: debate do tema no Duplo Expresso, com revelações adicionais

 

 

 

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments