STF: quem é quem na derrota que Gleisi – e Lula – impuseram à Lava Jato

Por Romulus Maya, para o Duplo Expresso

  • Gleisi foi absolvida da acusação de caixa 2 eleitoral pelo placar, apertado, de 3×2. Um voto apenas de diferença. Acreditem: de Gilmar Mendes!
  • Na semana passada, quando as perspectivas eram desfavoráveis, silêncio eloquente gritava. No site do PT, depois de (longas) 12h, apenas o discurso de Roberto Requião em defesa de Gleisi. Mais “inusitado” ainda, repercutido – em vez de por políticos da sigla – apenas pelo Ministro Marco Aurélio Mello.
  • Onde? No Plenário do STF. Em plena sessão. Claramente visando a persuadir seus pares a não subirem mais um degrau na escalada do arbítrio. Medida extrema tomada, obviamente, por necessidade.
  • Dessa forma, o Duplo Expresso celebra esta importante vitória de Gleisi – e de Lula – na certeza de que, em vez de arrefecer seus ânimos, em verdade fortalecerá ainda mais a determinação de ambos de lutar para derrotar o Golpe. Já em 2018. Porque o Brasil tem pressa.

*

A importante vitória de Gleisi Hoffmann na Segunda Turma do STF é também a vitória de Lula. A própria Senadora, que não temeu politizar as acusações que sofria (será esse o segredo do sucesso?), afirmou ainda ontem, com todas as letras, que era atacada por ser Presidente do PT e defender o Presidente Lula – e a sua candidatura:

 

Gleisi foi absolvida por 5×0 da acusação de corrupção passiva. Principalmente por não exercer qualquer cargo à data do “alegado” recebimento de “vantagem indevida”. Na verdade, alegação essa combinada. E bem remunerada. Assim, impossível que tivesse praticado retribuição usando cargo público, então inexistente. Ou seja, não teria como ter praticado o chamado “ato de ofício”.

Importante lembrar que, com base nesse entendimento (assentado na própria jurisprudência do STF), o Presidente Lula também não poderia – jamais – ter sido condenado por corrupção passiva no processo do triplex. Assim, a mesma Segunda Turma terá a oportunidade de mostrar coerência e conceder Habeas Corpus a Lula, no próximo dia 26, para que – ao menos – responda ao “processo” em liberdade. A ver.

Devemos destacar ainda que Gleisi foi absolvida da outra acusação – caixa 2 eleitoral – pelo placar, apertado, de 3×2. Um voto apenas de diferença. Votaram contra Gleisi – e Lula e o PT – (o anti-petista) Celso de Mello e (o refém de dossiê) Edson Fachin. Votaram a favor de Gleisi – e do Direito – Toffoli, Lewandowski e… Gilmar Mendes. Sim, Gilmar Mendes… Ministro que é político (de direita, pró-oligarquias tradicionais, mas… brasileiras) e portanto que se opõe, por definição, à anti-política (desnacionalizante) da Juristocracia, sistema de governo extra-constitucional e anti-soberania popular impulsionado, no STF, pelo (ainda) advogado da Globo na Corte, Luis Roberto Barroso.

Ora, não havia provas nem de corrupção passiva nem de caixa 2!

Tudo se fundava – apenas – em delações, contraditórias entre si inclusive. (O refém de dossiê) Edson Fachin chegou ao cúmulo de reconhecer que tais delações, feitas e refeitas diversas vezes conforme a demanda, eram, sim, contraditórias entre si. Mas não viu nisso problema maior… afirmou que, levando as contradições em consideração, tomaria – como verdade (!) – as partes em que concordavam. Oi?!

É isso mesmo: Fachin isenta a Lava Jato até da necessidade de simulação bem-feita. Desobriga-a de combinar versões que ao menos batam umas com as outras com os diversos bandidos que os membros da “Força Tarefa” operam, na forma de “delatores”. Todos eles premiados com impunidade e o dinheiro auferido com seus crimes, agora legalizado (!). Quer dizer, a descontar o achaque Lava Jato: METADE de tudo, repassada como propina aos membros da própria Lava Jato, via triangulação com advogados amigos. Sim, a metade do roubo, conforme proporção denunciada – e comprovada – por Rodrigo Tacla Durán. Aliás, importante destacar que um dos acusados de fazer tal triangulação desde os tempos de Banestado, o advogado curitibano Figueiredo Basto, era justamente o advogado de defesa dos (supostos) “delatores” de Gleisi. De mais de um, inclusive!

Talvez ocupado demais com a grana suja a ser rateada com procuradores, policiais federais, membros do Judiciário e doleiros, Figueiredo Basto tenha esquecido de combinar minimamente as versões de seus clientes. Quem pode culpa-lo? Todos sabem que não se exige qualidade – ou mesmo verossimilhança – nas acusações da Lava Jato. Melhor cuidar da grana mesmo.

*

A conjuntura muda. Como explicamos na segunda-feira, China e Rússia voltam a articular para dificultar o desmonte do Brasil pelos EUA. No lugar da Senadora Gleisi, o Duplo Expresso comemoraria a absolvição no STF convidando os embaixadores de ambos os países para comer um FRANGO – da BRF? – com farofa.

Brindando aos BRICS e à volta de Lula!

*

Mas ainda há muito trabalho a fazer…

No Pleno do STF, por exemplo, Fachin e Celso de Mello seriam certamente acompanhados por Barroso (3 votos). Aos quais possivelmente somar-se-iam ainda Fux, Carmen Lúcia e Alexandre de Moraes (6 votos). Quem sabe até Rosa Weber, aquela que condena “sem provas mas com base em livro” (7 votos).

Por isso, todo o cuidado é pouco. Lula segue preso em Curitiba. E no dia 26 teremos um sinal mais claro.

Até lá, notemos que muitos surgem agora para, na vitória, tentar papagaiar no ombro da Senadora Gleisi. Antes tarde do que nunca?

Atenção “Plano B”: o Duplo Expresso folga na certeza de que Gleisi, aplicada discípula do Presidente Lula, ficou só “olhando e matutando”, sabe…

Na semana passada, quando as perspectivas eram desfavoráveis, tinham sumido. No site do PT, depois de (longas) 12h, apenas o discurso de Roberto Requião em sua defesa. Mais “inusitado” ainda, repercutido – em vez de por políticos da sigla – apenas pelo Ministro Marco Aurélio Mello.

Onde?

No Plenário do STF.

Em plena sessão.

Claramente visando a persuadir seus pares a não subirem mais um degrau na escalada do arbítrio. Medida extrema tomada, obviamente, por necessidade.

Dessa forma, o Duplo Expresso celebra esta importante vitória de Gleisi – e de Lula – na certeza de que, em vez de arrefecer seus ânimos, em verdade fortalecerá ainda mais a determinação de ambos de lutar para derrotar o Golpe. E já em 2018. Porque o Brasil tem pressa.

*

*

*

Discutimos em detalhes o julgamento e suas implicações no Duplo Expresso de hoje:

*

*

*

ATUALIZAÇÃO: C.Q.D.

“Querida companheira Gleisi Hoffmann,

Recebi com muita alegria a notícia de que o STF, por unanimidade, declarou você e o companheiro Paulo Bernardo inocentes, perante as falsas acusações da Lava Jato e da Procuradoria Geral da República.

As mentiras dos delatores e dos procuradores eram tão evidentes que não havia outra decisão possível, apesar da imensa pressão da Rede Globo para condená-la.

Foram quase quatro anos de notícias falsas e parciais. Nunca levaram em conta os argumentos da defesa nem as contradições entre os depoimentos dos delatores, que mudavam de versão cada vez que suas mentiras eram derrubadas pelos fatos e pela investigação.

E você enfrentou toda essa pressão com a indignação dos inocentes e a coragem dos que lutam pela verdade e pela justiça. Você é forte, sempre esteve ao lado do povo, é a presidenta do Partido dos Trabalhadores. É por isso que eles tentaram te destruir numa farsa judicial. 

No julgamento dessa terça-feira, sua defesa mostrou que a Lava Jato construiu uma denúncia falsa a partir de depoimentos negociados com criminosos, em troca de benefícios penais e até financeiros.

E pela primeira vez o STF reagiu claramente diante da indústria das delações em um caso concreto, desmoralizando o discurso e a prática da Lava Jato.

Sua absolvição, conquistada por unanimidade, diz muito sobre sua integridade e a reputação como pessoa honesta e líder na política.

Mais do que isso, foi uma importante vitória da democracia e do estado de direito sobre os que vêm tentando impor um regime de exceção contra o PT e as forças populares e democráticas mais expressivas do país. 

E agora me pergunto: quem vai te pedir desculpas por quatro anos de acusações falsas, de manchetes nos jornais e na Rede Globo, que tanto sofrimento causaram a você, sua família, seus amigos e companheiros?

Nada espero dos que te acusaram falsamente. Mas tenho certeza de que o povo brasileiro saberá reconhecer seu exemplo de coragem e integridade para enfrentar a máquina de mentiras da Lava Jato e da TV Globo.

E assim, de vitória em vitória, vamos reconstruir este país e restaurar a esperança na democracia, na justiça e na igualdade.

Salve companheira Gleisi, salve companheira inocente!

A verdade sempre vencerá!
Um grande abraço do Lula”

Curitiba, 20 de junho de 2018

*

*

*

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.