Regime mira em Gleisi para acertar Lula. Restou o grito!

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

O STF comanda um judiciário viciado em praticar crimes. A completa parcialidade e o apreço pelo papel de sabujo do mercado financeiro desmoralizam a cada dia esta ditadura da toga que já não se envergonha de assim ser identificada. Não foi suficiente o arbítrio de prender Lula sem crime, agora querem calar quem foi eleita por Lula para ser a sua voz fora do Guantánamo de Curitiba: Gleisi Hoffmann.

Publicamos ontem, aqui neste Duplo Expresso, um importante discurso do senador Roberto Requião (MDB – PR) em defesa da senadora petista. A nossa equipe estranhou que a fala do senador não tivesse merecido o devido destaque naquele grupo autointitulado “mídia alternativa”. Gleisi é uma ameaça também aos planos políticos de alguns blogs.

Quando Gleisi Hoffmann assumiu a presidência do PT, tive o cuidado de advertir para os riscos de que ela fosse a nova presidenta a ser sacrificada. Dentro e fora do PT os interesses do regime são incompatíveis com a liberdade de Lula. O tempo, lamentavelmente impiedoso, tem provado que não errei ao fazer tal alerta.

O motivo é descaradamente óbvio: Gleisi é o símbolo de luta e resistência contra este crime da justiça de forjar crimes para tirar Lula das eleições e dar à direita a possibilidade de manter o poder (conquistado com um golpe), com candidato próprio ou outro alugado de qualquer legenda, inclusive o PT, para cumprir o papel de boneco de ventríloquo dos bancos. A direita sabe que não precisa de candidato, acredita mesmo que basta tirar Lula para vencer.

O Brasil é um país com enorme potencial, mas é gerido por figuras bizarras que são escolhidas por uma elite burra e provinciana. As “cabeças” que ocupam as instituições são presas ao modelo colonial e incapazes de querer sair do atraso. O judiciário ultrapassa este quadro de retrocesso e mantém verdadeiras capitanias hereditárias, devidamente associadas à corrupta Globo.

Tudo parece caminhar para a consolidação do “crime perfeito”: voto eletrônico que não pode ser auditado, juízes (e grande parte do judiciário) viciados em crimes contra a Constituição, Forças Armadas mais preocupadas em comer camarão e caviar na celebração do êxito de cumprir o papel de “capitão do mato” na caça aos cidadãos escravizados e abandonados pelo Estado, um presidente corrupto, uma imprensa que tem a mafiosa Globo como referência, candidatos da “esquerda” que negam a luta e se jogam nos braços dos bancos, etc.

Como a direita perderia esta eleição? Sempre há um caminho, pois não existem crimes perfeitos. A resposta está na vontade do povo. O povo quer Lula e para que isso aconteça Gleisi precisa assinar a ficha que o mantém candidato, ao mesmo tempo em que revela para o mundo a vergonhosa ditadura vivida no Brasil.

E é aí que venho – humildemente – com a visão de quem observa à distância, apresentar mais uma (não tão original) sugestão: Gleisi, aguarde o julgamento da terça-feira dentro de uma Embaixada. Não cometa o mesmo erro de Lula, Dirceu e todos os outros. Denuncie ao mundo esta ditadura. Se você realmente acredita na sua inocência, faça deste ato um grito para que o mundo saiba o que está acontecendo no Brasil.

Antes disso, reúna material para dar “nomes aos bois”. Dizer ao povo quem é que usa a legenda do PT, e até de outros partidos, para minar por dentro a possibilidade de termos um governo leal às promessas de campanha e ao cumprimento da agenda vencedora nas últimas quatro eleições. Todos os nomes, Gleisi! Vão te chamar de “barraqueira”, mas a baderna deles é muito mais decadente. O seu grito é a sua arma e é tudo que eles morrem de medo. Pegue datas, nomes, lugares, etc. Tudo! Mostre quem estava traindo Lula e querendo ver você pelas costas.

Lembre daqueles que dentro do PT querem a sua cabeça e fora do PT nunca suportaram a sua condição de mulher e líder na política. Dê este tapa na cara dos canalhas que querem normalizar o seu sacrifício, via STF, para consumar uma fraude montada pelos bancos e pelos EUA para que o povo seja apenas um instrumento que legitime o roubo das nossas riquezas e do nosso futuro através de eleições viciadas por dentro e por fora das urnas.

Vai, Gleisi! Faça de uma Embaixada (com inicial maiúscula) um palanque para dar entrevistas todos os dias e “jogar água no chope” dos bandidos da direita, inclusive os da justiça e aqueles que ocupam partidos da esquerda. Todos os eleitores de Lula estarão contigo. Saberemos quem são os governadores que pressionaram você. Quem são os quadros internos que estão completamente cooptados pelos interesses alheios aos ideais que nos move.

Pode ser a Embaixada da Suécia. Melhor ainda que seja a da Suíça para que você possa ter acesso aos documentos sonegados pelo MP e que impedem a defesa de Lula e de tantos outros perseguidos pelo atual regime, saindo da condição de refém e dispondo do nome de cada um deles nas suas mãos. O meu colega Romulus, sugere que “o chá” seja tomado na Embaixada da China ou da Rússia. É a sua vez, Gleisi! Não tenha medo. Nada será pior do que o cárcere por um crime forjado. Não seja mais uma pessoa a engrossar a fila dos perseguidos por este regime vigente no Brasil.

Acredite no seu poder. Faça diferente! Aposte em outros caminhos, pois é assim que surgem os grandes líderes. Requião é aliado seu – muito mais do que muitos do PT – e é a única chance de sobrevida do MDB. Lula não terá dúvida de que consumado o seu sacrifício, estará sozinho no PT e irá buscar na política, e não na “companheirada”, o caminho para barrarmos o atual regime. Surgirá daí a oportunidade de recomeço. Força, Gleisi!

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Wellington Calasans

Jornalista, Radialista, Ativista Político, Sonha com um Brasil parecido com a Suécia e uma Suécia com o sol do Brasil, o sonho é livre.