Lula – A mensagem foi para Gleisi (e todos os outros)

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

A mensagem do Presidente Lula à Senadora Gleisi Hoffmann é carregada de simbolismos que merecem especial atenção. No texto, a lealdade de Lula foi um gesto de reciprocidade.

O resto é Luta!

Há pouco mais de um mês, a “justiça brasileira” resolveu pagar para ver se Lula era apenas um pop star ou um líder popular. Preso, isolado do povo que sempre lhe serviu de combustível para as lutas por justiça social, Lula envia mensagem e mostra que não está para brincadeira.

A mensagem enviada à Gleisi, divulgada ontem (9 de maio), é muito mais do que uma gentileza ou um oportuno apoio individual. É uma convocatória destinada ao povo. Uma preparação para as lutas de libertação: dele, do Brasil e dos brasileiros.

Sei quanto você está sendo atacada. Por isso resolvi dar uma declaração sobre o assunto.

Escreveu Lula após ressaltar que acompanha as notícias. Em outras palavras, se o Governador da Bahia – Rui Costa – pensava ter em si a autoridade para atestar a legitimidade de Gleisi Hoffmann, “se deu mal”. O povo baiano que o elegeu em 2014 por conta do apoio de Lula (que não ocupava nenhum cargo político), saberá julgar se o questionamento à Gleisi foi apenas um deslize de quem confunde luta política com conchavo eleitoral. Será que foi isso, Rui Costa?

 

Quem quer que eu não seja candidato eu sei, inclusive, as razões políticas, pois são concorrentes.

Manoela D’ávila e Ciro Gomes entenderam, pois a afirmação é autoexplicativa.

Outros acham que fui condenado em 2ª instância, então sou culpado e estou no limbo da Lei da Ficha Suja.

Neste trecho, o Governador do Maranhão, Flávio Dino, deveria esclarecer a questão. Foi ele que contribuiu fortemente para a invasão da “justiça” na política através da “Lei da Ficha Limpa”. Então, agora precisa dizer se lá atrás, no dia 24 de janeiro, foi mais um a criar falsas expectativas no povo para evitar que, em Porto Alegre – onde e quando Lula ainda era um homem livre –, declarasse a necessária guerra contra a injustiça. Mudou de ideia, Flávio Dino?

Os meus acusadores sabem que sou inocente. Procuradores, juiz,TRF-4, eu sou inocente. Os meus advogados sabem que eu sou inocente. A maioria do povo sabe que eu sou inocente.

Aqui os quadros da justiça são apenas lembrados de que não serão esquecidos. Mas os advogados (incluindo a ala do “PT judicial”) precisam explicar melhor à “maioria do povo” que estratégia foi essa que conduziu Lula ao isolamento da cadeia.

Como afirma Lula:

Se eu aceitar a ideia de não ser candidato, estarei assumindo que cometi um crime.

Não cometi nenhum crime.

Por isso sou candidato até que a verdade apareça e que a mídia, juízes e procuradores mostrem o crime que cometi ou parem de mentir.

O povo merece respeito. O povo tem que ter seus direitos e uma vida digna.

Por isso queremos uma sociedade sem privilégios para ninguém, mas com direitos para todos.

O resto é Luta!

 

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Wellington Calasans

Jornalista, Radialista, Ativista Político, Sonha com um Brasil parecido com a Suécia e uma Suécia com o sol do Brasil, o sonho é livre.