Ao contrário de Getúlio, Lula mostra que está vivo e faz carta para chamar o povo às ruas

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

O Brasil tem a sua própria lógica na política e, exatamente por isso, nele a lógica da repetição da história pode transcender tanto à tragédia, como à farsa, ambas vaticinadas por Karl Marx. Getúlio Vargas escreveu uma carta que levou o povo às ruas após a sua morte. Lula repete o mesmo gesto, mas para corrigir um dos únicos erros de Getúlio, o erro de não usar o seu poder de líder para convocar o povo numa reação contra os avanços dos inimigos do Brasil e dos brasileiros.

“Mais uma vez as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam; e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social…” (Getúlio Vargas – Carta-testamento)

Esta introdução da “Carta-testamento” de Getúlio Vargas poderia ter sido lida por Gleisi Hoffmann em representação ao preso político Luis Inácio Lula da Silva. Os inimigos apenas se revezam em níveis de visibilidade, mas são os mesmos velhos conhecidos. Os alvos sempre os mesmos: governos que tentam incluir o povo na agenda e que lutam por um Brasil soberano.

Lula pede socorro aos democratas. Implora pelo resgate e respeito ao Estado Democrático de Direito. Lula convoca o povo, os verdadeiros amantes da democracia, pois somente pela via democrática o povo terá voz e vez neste país caracterizado pela discrepância entre ricos e pobres.

“Chegou a hora de todos os democratas comprometidos com a defesa do Estado Democrático de Direito repudiarem as manobras de que estou sendo vítima, de modo que prevaleça a Constituição e não os artifícios daqueles que a desrespeitam por medo das notícias da televisão.” (Lula – Preso Político)

Lula sabe que não pode mais esperar por um gesto nobre desta “justiça”. A Globo também entrou na mira do povo, por orientação do maior, e único, líder político que temos. Lula convoca o maior de todos os aliados, o povo, às ruas. A luta – como fica claro na carta lida nesta terça-feira (03/06) pela Presidenta Nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), durante reunião da Executiva Nacional, na sede nacional do partido, em Brasília – é um apelo, um pedido de apoio a um preso político, um homem de 72 anos de idade que é perseguido por uma estrutura montada para destruir os sonhos dos brasileiros.

Lula pede para que as pessoas não se conformem com o que está acontecendo com ele e com o nosso Estado Democrático de Direito. Lula enviou um sinal de SOS ao povo. É este homem que fez tanto, e pode fazer muito mais, pelo nosso país que agora precisa ser resgatado pelo povo que ele tanto ajudou.

Getúlio Vargas teve que dar um tiro no próprio peito para provar que era inocente. Lula precisa ter um fim diferente. É possível, pela via da luta por “Lula Livre”, resgatarmos a vida de Getúlio e desafiarmos os inimigos de sempre. Assim como Getúlio, Lula também sabe que nem todos os “companheiros” fizeram o que deveriam ou poderiam fazer.

“Acrescente-se a fraqueza de amigos que não me defenderam nas posições que ocupavam, a felonia de hipócritas e traidores a quem beneficiei com honras e mercês e a insensibilidade moral de sicários que entreguei á Justiça, contribuindo todos para criar um falso ambiente na opinião pública do país contra minha pessoa” (Getúlio Vargas – Carta-testamento)

Com a carta lida por Gleisi, Lula escancara para todo o mundo que aquilo que deveria ter sido tratado como um trabalho da “justiça”, foi transformado em uma das mais absurdas perseguições políticas que se tem história.

“Tudo isso me leva a crer que já não há razões para acreditar que terei Justiça, pois o que vejo agora, no comportamento público de alguns ministros da Suprema Corte, é a mera reprodução do que se passou na primeira e na segunda instâncias”
 (Lula – Preso Político)

Lula sabe que a nossa justiça é aquilo que o Duplo Expresso publica regularmente sobre STF, Barroso, Fachin, STJ, Fischer, Lava Jato, Moro, TRF-4, Quinta Turma e todas as facções pertencentes ao agrupamento de canalhas.

Somente pela via da desobediência civil, com o povo nas ruas e uma Greve Geral podemos acabar com este festival de arbitrariedades.
Caso contrário Lula será enterrado em vida. Ao menos, diferentemente de Getúlio Vargas, parece que ele (Lula) já percebeu esta triste realidade.

No restante da carta Lula expõe publicamente as manobras e tecnicidades da sua situação jurídica. Lança o desfio à justiça de Curitiba e exige que seja apresentada alguma prova contra ele.

Leia a mensagem completa neste link:
http://www.pt.org.br/carta-de-lula-em-defesa-da-democracia/

 

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Wellington Calasans

Jornalista, Radialista, Ativista Político, Sonha com um Brasil parecido com a Suécia e uma Suécia com o sol do Brasil, o sonho é livre.