Norte, Sul e um único caminho: a Paz

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

Todo esforço pela consolidação da paz entre Coreia do Norte e a Coreia do Sul é motivo para celebração. No entanto, é muito cedo para acreditar que o encontro entre os seus respectivos líderes Kim Jong Un e Moon Jae-in irá mesmo significar a “completa desnuclearização da península coreana”, como anunciado na declaração conjunta.

No mesmo documento, a promessa de que, já a partir deste ano, as duas Coreias trabalharão com os Estados Unidos e a China para declarar oficialmente o fim da Guerra da Coreia, iniciada na década de 1950, é outro aspecto positivo.

Reações em todo o mundo:

A China  principal aliada da Coreia do Norte, saudou a declaração dos líderes e disse que está disposta a continuar desempenhando um papel proativo na promoção de soluções políticas. A China tem receio de ser marginalizada por um degelo entre as duas Coréias e pela próxima reunião de cúpula entre Trump e Kim.

A Rússia – afirmou estar pronta para facilitar a cooperação entre a Coreia do Norte e a Coréia do Sul, inclusive nos setores de transporte ferroviário e energia.

O Japão  o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, também saudou o encontro dos chefes de Estado, e disse esperar que a Coreia do Norte tome medidas concretas para cumprir suas promessas. Os mercados globais foram levantados pela esperança de que a cúpula abra caminho para o fim do conflito na península coreana. As ações em Seul subiram brevemente mais de 1%, atingindo o maior recorde de um mês, e o Índice Nikkei na Bolsa de Tokyo também fechou em alta de 0,66%.

USA – via Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump (o mesmo que no ano passado trocou ameaças nucleares e insultos pessoais com Kim Jong Un) saudou as negociações coreanas, mas o fez com alguma cautela.

“Depois de um ano furioso de lançamentos de mísseis e testes nucleares, um encontro histórico entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul está acontecendo agora. Coisas boas estão acontecendo, mas só o tempo dirá!”, publicou Trump no seu Twitter.

Os Estados Unidos disseram anteriormente que espera-se que as negociações sobre paz e prosperidade façam progressos e que aguardam com expectativa as discussões com a Coreia do Sul em preparação para a reunião planejada de Trump e Kim nas próximas semanas.

Nunca é demais lembrar que há apenas alguns meses, Trump e Kim trocavam ameaças e insultos enquanto o Norte avançava rapidamente na busca de mísseis com armas nucleares capazes de atingir os Estados Unidos.

Coréias fazem esforços e Trump fica vermelho?

Quem ficou empolgado com as palavras de Trump no Twitter foi o senador republicano pela Carolina do Sul, Lindsey Graham. Em declarações feitas neste sábado (28 de abril), Graham disse que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, seria premiado com o Prêmio Nobel da Paz “caso o seu governo consiga acabar com a Guerra da Coreia e desnuclearizar essa península”.

O certo é que Kim Jong Un e Moon Jae-in precisam melhorar o entrosamento para que juntos consigam cumprir as promessas anunciadas na sexta-feira (27 de abril), que incluem também a redução progressiva de armas, cessar atos hostis, transformar a fronteira fortificada em zona de paz e buscar negociações multilaterais com outros países, incluindo os Estados Unidos.

*

A julgar por este vídeo do encontro de ontem, ainda falta muito “ensaio” para que possamos vê-los com perfeito sincronismo.

 

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.