Recortes históricos de uma tragédia em curso

Da Redação do Duplo Expresso

O que esperar de uma sociedade forjada por três décadas sob a influência de Xuxa, Big Brother e Jornal Nacional? O “canto do tritão”, Chico Pinheiro, seduziu muitas pessoas que poderiam lutar pela liberdade de Lula.

No lugar da luta, o conformismo de que Lula está no Spa, sob o cuidado de anjos. Uma espécie de retiro espiritual que o afasta do mundo agitado e o revigora para voltar(?) “mais forte”. “Ignoram” que o combustível que tirou Lula de todas as dores foi o contato com o povo.

A campanha para a emissão de cartas ao ex-presidente é a negação da espontaneidade, mas também – e principalmente – a negação da luta por justiça. É o conformismo por escrito, com nome e endereço do resignado. É a campanha para aceitarmos que ficará vinte anos (conformado) lendo milhões de cartas.

Lula queria resistir, pois sabia que aceitar o caminho da rendição como bandeira de comoção seria como trair aqueles que querem lutar. Seria também se curvar aos abusos e injustiças do qual é vítima.

A “espontânea decisão de se entregar” veio após o assassinato do primo de Lula (momentos antes de anunciada a decisão), os “conselhos” de Zé Cardozo de que “somente se entregando, Lula receberia HC”, “que não se entregando, o Moro daria uma prisão preventiva que não caberia HC” (uma mentira), as entrevistas que antecipavam para a Globo que estava em andamento “uma negociação para se entregar”, etc.

No Sindicato dos Metalúrgicos, Lula foi para onde quer estar agora: os braços do povo. Receber o apoio e deixar uma mensagem subliminar de que era ali o lugar dele. O povo queria lutar, impedir que Lula fosse entregue. Outra vez prevaleceu o jogo sujo dos bastidores: ameaças aos filhos, ameaça da Globo contra políticos do PT, recados de que haveria “banho de sangue”.

Lula não teve outra opção, teve que se sacrificar. Agora temos que lutar por ele e para ele, mas sem ele (diretamente). Infelizmente.

Nota do Duplo Expresso:

Entre o programa Duplo Expresso desta manhã e a publicação deste texto (lido em forma de editorial, mas aqui com alguns ajustes), nove governadores de estados do Nordeste e três senadores foram impedidos, por Moro, de visitar Lula. E há quem diga que somos “dramáticos”.

Basta um minuto no lugar de Lula para que você entenda que ele não está no retiro espiritual. Ali é o abrigo das almas penadas, o purgatório. O covil de seus maiores inimigos.

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Wellington Calasans

Jornalista, Radialista, Ativista Político, Sonha com um Brasil parecido com a Suécia e uma Suécia com o sol do Brasil, o sonho é livre.