Alckmin, refém de Moro, oferece mar de sangue por silêncio de Paulo Preto

Por Romulus Maya, para o Duplo Expresso

A prisão do “operador” do PSDB “Paulo Preto” é a faca do esquema Moro no pescoço de Geraldo Alckmin para que esse enviasse para São Bernardo do Campo a tropa tática, a mais violenta da PM de São Paulo. Fonte do Duplo Expresso confirma que a mesma já se dirige para o local. O comando da ocupação já tem ciência disso e já toma como provável o confronto.

Por que a pressa de Moro?

(1) Marco Aurélio Mello levará as ações vinculativas (ADCs) contra prisão em segunda instância ao Plenário do STF já na próxima quarta-feira. Usando “questão de ordem”, driblará Carmen Lúcia, feita refém pela Rede Globo – que não hesitou em usar “tesouradas” contra a reputação da “beata”.

(2) Alckmin se desincompatibiliza amanhã do governo do Estado de São Paulo, para que ascenda ao poder – o socialista – Márcio França (PSB-SP). Assim, a cartada “Paulo Preto” perde a validade em 24h.

(3) o comando do Golpe tenta, com a pressão imediata, sacramentar a capitulação definitiva, sem tempo para rearticulação: a indicação de Fernando Haddad como o “Plano B”, selando o fim político de Lula e, possivelmente, do PT.

Em resumo, o sangue de inocentes, derramado em favor de outro inocente, estará nas mãos de dois criminosos: Alckmin e Moro.

E há hienas salivando bem próximas da (futura) carcaça.

Pergunta:

– Ainda “olhando e matutando”?

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.