Conversando com outro “socialdemocrata que sabe fazer conta” sobre o liberalismo e os liberais no Brasil

Conversando com outro “socialdemocrata que sabe fazer conta” sobre o liberalismo e os liberais no Brasil

Comentários ao post “BC joga a queda da inflação no colo de Temer”, de Luis Nassif, aqui no GGN.


Ciro d’Araújo

:

Além da “recuperação natural” que existe uma vez que o acordão neutralize o efeito paralisante da lava-jato sobre a economia e uma certa recuperação do preço do petróleo a medida que EUA reduz produção por fracking.

As fábricas brasileiras não foram implodidas, não houve uma catástrofe natural que tenha retirado quase 10% do produto POTENCIAL brasileiro nos últimos dois anos.

Com a neutralização da instabilidade política a economia imediatamente tende ao retorno ao patamar anterior, isso se verifica em número expressivos de PIB que na realidade não tem efeito sobre o aumento real da produção, mas sim sua utilização.

Por exemplo Rússia 2009 teve queda do PIB de 7.8%. Ano seguinte recupera com crescimento de 4,5%. Porém o nível real de atividade ainda estava abaixo do nível de 2008.

Agora no papel, parece bom.

O problema é a Temeridade do programa de Temer – que é pro-cíclico.

Aguardemos… não sou otimista.

* * *


Romulus

:

L’Etat c’est NOU$ !!

Sim – e Temeridade com poder absoluto pra passar qualquer coisa, com uma inédita fusão entre o Executivo e o Legislativo (e o Judiciário?).

Pela 1a vez na Nova República o mesmo grupo controlaria Presidência + Câmara e tem termos de entendimento fácil com Senado.

Não tivemos isso nem no Sarney, em que Ulysses – do “mesmo” PMDB do Presidente – era um de seus maiores opositores.

Fora isso, Temer tem de 3 a 4 votos cativos no STF + um bloco de 4 a 5 doido pra lavar as mãos.

O Pesadelo do Montesquieu: vamos voltar à França pré-revolucionária com um condomínio de picaretas no lugar do Rei-sol: l’Etat c’est NOU$ !!

E o pior??

Monica de Bolle – a “liberal” – aplaude o golpe que tenta instituir esse novo quadro institucional, com fusão de fato entre os três Poderes.

A liberal de textbook não tem problema com Estado absoluto – desde que aplique o seu programa, evidentemente.

Dureza!

* * *


Ciro d’Araújo

:

Liberais brasileiros

Liberais brasileiros historicamente seguiram essa linha.. por exemplo, Roberto Campos em carta a Paul Samuelson revoltado pela inclusão do brasil dos anos 60 e 70 como regime totalitário no livro de macroeconomia do outro (livro q ainda hoje serve para ser estudado pelos alunos de introdução a macroeconomia e devidamente esquecido e desaprendido ao longo do curso) lança a seguinte frase:

“Solid operational democracies like the US can afford to ignore the difference between opposition and subversion.”

Sendo esse um dos maiores expoentes da liberdade individual no Brasil, não é de se espantar que o liberalismo nunca tenha pegado de fato por aqui.

Descreve também o regime brasileiro como autoritário mas não ditatorial:

Its most appropriate description would be a regime of ‘consented authoritarianism'”

Vale a pena ler o documento na integra.

http://arquivosdaditadura.com.br/documento/galeria/carta-roberto-campos-…

* * *


Romulus:

“‘consented’ authoritarianism” – ???

Só rindo. Para não chorar.

Pra todos esses textbook liberals se tivesse que escolher só um nome era esse:


JOHN RAWLS

2 livros apenas:

1) para quebrar o dogma da espiral da prosperidade e do utilitarismo com relação à justiça distributiva na sociedade – “A Theory of Justice” resolve

2) e para quebrar ao meio esse pseudo-liberalismo político que só convém quando o resultado lhes agrada – “Political Liberalism” dá o recado

Acho que é seguro afirmar que foi o que de melhor eu tirei do Mestrado em Direito Internacional no Brasil.

E olha que esses livros eram do “ciclo básico”, comum a todas as especialidades do Direito. Eram da cadeira “Teoria da Justiça”.

Não tinham nada a ver com Direito Internacional propriamente dito.

Já te falei do Rawls.

Vc que é economista vai entender muito mais do que boa parte dos meus colegas de curso.

Tem muita fórmula econômica e muito gráfico para demonstrar as proposições dele.

O meu “a theory of justice” é todo rabiscado… sublinhado, anotado. É daqueles livros que vão mudar a sua forma de pensar pra sempre.

https://en.wikipedia.org/wiki/John_Rawls

Clinton, que sabe das coisas, deu medalha pro cara.

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.