Traição: Moro & “DD” rifam Aécio (e até Huck!) para abafar Tacla Durán – e via Globo!

colagem%20aecio%20huck%20moro%20globo%20chantagem%20DD%20copy.jpg
Traição: Moro & “DD” rifam Aécio (e até Huck!)
para abafar Tacla Durán – e via Globo!
– Flagrante: acossados, Moro e “DD” chantageiam (clandestinamente!) Aécio
(e até Luciano Huck!), via Globo (opa!), para tentar abafar rojão
#TaclaFuraBolha!
– Inútil: esse “pedido” de resgate desesperado foi pescado por amigo
esperto e, na sequência, analisado aqui no Blog.
– Provável recado de Moro, “DD” e demais membros da “panelinha de
Curitiba” – passado pelos “solícitos” irmãos Marinho:
“De mafiosos para mafiosos, por intermédio de famiglia mafiosa:
– Aécio, ou você nos salva do #TaclaFuraBolha mexendo os seus pauzinhos no STF
e no Congresso, como fez para safar a si mesmo em outubro último, ou jogamos a
(sua) merda no ventilador.
– Já que fala tanto com o seu ‘brother’ Gilmar Mendes, como vimos pelos
grampos, mande ele parar – imediatamente – de conceder decisões em nosso
desfavor, como a proibição de conduções coercitivas, determinada por ele nesta última
semana.
Senão…
Já sabe…
– Último aviso, capisce?
Ass.: ‘DD’”.
– Burrice em Curitiba não tem limite: repetindo o erro crasso de Janot,
no desespero, abrem fronts concomitantes à esquerda e à direita. Perguntem a
Hitler se isso acabou bem…
– Burrice (ou cooptação) na chamada “mídia alternativa” tampouco é pequena: estão todos
servindo de bucha de canhão de Sergio Moro & “DD”: repercutem o instrumento
da chantagem! Nem ao menos se perguntam sobre o “inusitado” de “DD”, via
Globo!, atacar um político do PSDB!
– Até quando? Ai, ai… tá puxado demais, Brasil!

*
Converso com amigo muito vivo, do
Rio. Na preguiçosa manhã deste sábado, resolve ele começar o dia lendo o Jornal
O Globo, dos irmãos Marinho.
(ossos do ofício…)
Pois eis que, na página 3, depara-se
com matéria bastante inusitada:
– Não precisa comprimir os olhos: o texto será reproduzido no final
deste artigo.
/Users/romulosoaresbrillo/Desktop/WhatsApp Image 2017-12-23 at 12.49.26.jpeg
/Users/romulosoaresbrillo/Desktop/WhatsApp Image 2017-12-23 at 12.49.07.jpeg
O primeiro impulso do amigo é
pensar na hipótese de uso de Aécio Neves como “boi de piranha”, para fazer os
veículos alternativos e as forças políticas de esquerda voltarem a dar
repercussão a “descobertas” (sic) da Lava Jato (isto é: “descobertas” contra a direita…) e, assim, pararem de
falar sobre #TaclaFuraBolha.
Ou seja: sairia a pauta que
detonou a Lava Jato e entraria outra, que lhe empresta “credibilidade” (rsrs).
Boa hipótese: esse mesmo
movimento já se verificou diversas vezes anteriormente.
Mas não fico convencido. Depois
da hecatombe #TaclaFuraBolha, atrair a esquerda com tal diversionismo não seria
lá de tanta serventia para Moro, “DD” e comparsas nesta etapa (dramática!) da guerra
político-MIDIÁTICA. Afinal, gostemos ou não disso, as forças de esquerda não mandam
nada nos teatros chave dessa disputa:
(i) Brasília – Congresso (CPIs, Comissões,
Lei Cancellier, Supersalários), Ministério da Justiça (PF, acordos de
cooperação internacional), STF/ CNJ e PGR/ CNMP; e
(ii) Mídia – antes desta semana,
diria “grande mídia”. No entanto, depois dela, já não ouso excluir
peremptoriamente a chamada mídia “alternativa” como possível alvo dessa
“pressão”. Ou, ao menos, não toda ela.
Penso, portanto, em outra
hipótese – que, atenção!, não exclui de todo a primeira:
– Acossados, Moro, “DD” e cia.
resolveram “pedir” socorro à direita, nas pessoas de Aécio Neves e até de… Luciano
Huck!
O método, o habitual em Curitiba:
a chantagem.
O meio, também o habitual: a
Globo.
Vou imediatamente aos perfis no
twitter – o geral e o de política – do jornal. Nada feito: nenhuma menção a
“Aécio” nas últimas 24h.
?
Sigo para a página principal do diário
dos Marinho na internet.
Nada feito tampouco!
Dou “Ctrl + F + Aécio”….
Resultado: zero “Aécios”
encontrados!
Screen%20Shot%202017-12-23%20at%2012.39.51.png
(Atualização 14:47 – sou alertado pelo chargista Aroeira do erro de digitação do “Ctrl + f + Aécio“. De fato não havia nada na página do Globo então com “Aécio”. Tinha olhado tudo. Dei o “Ctrl + f” apenas para não ter que dar print na página inteira para a ilustração. Mais sobre isso na atualização, no final do artigo)

Suspeito, não?
?
Parece matéria, sim, plantada,
mas…
– … clandestinamente!
E por quê “clandestina”, minha
gente?
Ora, chantagem se faz com
discrição, não é mesmo?
Caso o objeto da chantagem seja
de conhecimento público, o chantagista perde imediatamente a sua alavancagem
sobre o chantageado, que fica “livre”!
Ou seja, a matéria – clandestina… – destina-se a Aécio,
Huck, Accioly e ao BTG Pactual de André Esteves, todos eles sócios da rede de academias de ginástica “Bodytech”.

E a eles apenas!

(ou próximo disso…
Afinal, Moro, “DD” e Globo – coautores da tentativa de chantagem – escolheram
um sábado (o dia de menor circulação…) antevéspera de Natal (!) para passar a
mensagem (nem tão…) cifrada)

Num último esforço, vou à página
de política do Globo e confirmo a hipótese da “clandestinidade” da ameaça. TODO
destaque é dado ao mais recente “boi de piranha” sacrificado pelo – suspeitíssimo lavajateiro no STF… – Min.
Edson Fachin:
(o quase nonagenário…) Paulo Salim Maluf.

Screen%20Shot%202017-12-23%20at%2012.40.24.pngScreen%20Shot%202017-12-23%20at%2012.40.56.png

?
Com muuuito esforço, lá na rabeira,
encontro (discretíssimos!) links para
as tais duas matérias sobre Aécio.
Abertas apenas para…
(o diminuto número de…)
– … assinantes!
Epa!
?
Mais: diferentemente de TODOS os
outros “quadrinhos” no meio dos quais a chantagem se encontra… hmmm…  “perdida”!
(notem a “chavinha”…)
Screen%20Shot%202017-12-23%20at%2012.41.12.png
?
Provável recado de Moro, “DD” e demais
membros da “panelinha de Curitiba” – passado pelos “solícitos” irmãos Marinho:
“De mafiosos para mafiosos, por intermédio de famiglia mafiosa:
– Aécio, ou você nos salva do #TaclaFuraBolha mexendo os seus pauzinhos no STF
e no Congresso, como fez para safar a si mesmo em outubro último, ou jogamos a (sua)
merda no ventilador.
– Já que fala tanto com o seu ‘brother’ Gilmar Mendes, como vimos pelos
grampos, mande ele parar – imediatamente – de conceder decisões em nosso
desfavor, como a proibição de conduções coercitivas, determinada por ele nesta última
semana.
Senão…
– Último aviso, capisce?
Ass.: ‘DD’”.
*
A estratégia toda é tão tosca que
sou quase capaz de jurar que foi elaborada mesmo por “DD”…
– … quiçá num
powerpoint!
A Terceira Lei de Newton nos
ensinou que:
“A toda ação sempre há uma reação de mesma intensidade e direção, porém
sentidos opostos.”
*
Hitler: “sanduichado” por Roosevelt/ Churchill – Stalin
Burrice em Curitiba não tem
limite: repetindo o erro crasso de Janot, no desespero, abrem fronts concomitantes
à esquerda e à direita.
Perguntem a Hitler se isso acabou
bem…
../Documents/Fotos%20Artigos/0-Organizar/Moro%20Hitler.jpg
*
Minha sugestão a Aécio (que “mata” até primo!) para tal “reação”
Seguindo o exemplo do Presidente
Lula, convoque, ele também, Rodrigo Tacla Durán como testemunha de defesa!
Aliás, que façam isso TODOS os
políticos arrolados no “listão” (fake!)
da Odebrecht!
Um por um…
Para desespero da Sra. Presidente
do STF, a Min. Carmen Lúcia, que (apenas?)
com muuuita imprudência homologou – (lava…)
“a jato”! – o “pacotão” (fake!) da “delação dos 77” executivos…
– … num recesso de
fim de ano!
– Quando nem relatora
do caso era!
– E isso depois da extemporânea
morte de Teori Zavascki… o mesmo que vinha emperrando tal homologação, por
ver muitas “inconsistências”…
Desculpem a franqueza rude, mas,
talvez inadvertidamente (vai saber…)
essa daí tá é fod…a!
Foi obedecer pressão da Globo e
sifu!
*
– Aécio, sabe com o que Tacla Durán pode te ajudar já de cara?
Simplesmente repetindo o que
disse à “CPMI da fábrica de delações” em novembro último, sobre o nível
grosseiro das falsificações das “planilhinhas” da Odebrecht e dos extratos (fake)
fabricados no seu “banquinho” (ou
seria “banquete” o diminutivo??) no Caribe.
Repito o que disse por telefone a
dois nobres membros daquela CPMI durante a inquirição de Tacla Durán, os
combativos Deputados Paulo Pimenta e Wadih Damous:
– “Planilhinha de excel” +
“extratinho” de “banquinho” em ilhota do Caribe…
– … SEM código
SWIFT
– … vale tanto quanto…
– … dinheirinho colorido de
joguinho de criança!
Screen%20Shot%202017-12-23%20at%2015.11.57.png
Simples assim!
Infelizmente, não houve tempo na
CPMI para ambos explorarem essa “pequena” carência nas “provas” (sic) usadas
pela máfia de Curitiba (e da PGR/ STF em Brasília!) contra políticos de todas
as tendências…
Mas ainda é tempo, Aécio!
(& amigos!)
Tem mais:
– Parece que “DD” realmente abusa
do seu flagrante déficit cognitivo…
– Isso porque nem mesmo DEPOIS de
o Tacla Durán apontar – expressamente na CPMI! – para uma das falhas mais
grosseiras na fabricação das
“planilhinhas” made in Curitiba “DD”
aprendeu…
– Justo ele, que tanto ama os
Estados Unidos da América, até hoje não sabe que, em inglês, coloca-se o mês
antes do dia no lançamento de datas!
– Poxa, “DD”! Me ajuda a te
ajudar, rapaz!
– Não dá para colocar num
“documento” (sic) em inglês, no campo “date”,
“14-11-2008”!
WhatsApp%20Image%202017-12-23%20at%2012.48.43.jpeg
– Fosse “12-11-2008” e poderia ter
passado batido…
– Mas mês “14” não existe, “DD”!
*
Coitados dos membros da
“panelinha” de Curitiba…
Nadaram tanto…
E vão morrer na praia!
*
Pior: talvez, nem apenas “morrer na praia” em sentido figurado!
– Sai vazado, rapá!
– Antes que os “gringos” tenham de “apagar” você e o
Moro, por não terem entregado o combinado!
– E, é claro, como queima de arquivo!
– Aliás, como há muito revelou aquela fonte (quente!) do Wellington
Calasans na comunidade de inteligência europeia!
– E não vai adiantar quererem pendurar o “acidente” que
“vitimar” vocês dois no Lula: nós já avisamos – há mais de 1 mês! –
quem será o mandante:
*
Aceita que dói menos, “DD”/ Moro:
– A casa caiu!
– Saiam vazado e durmam já, hoje,
no Consulado americano!
*
Como sou cristão, fecho com um
conselho a “DD” & Moro, que nada sabem de estratégia…
(como temos visto nos últimos 3 anos…)
– Vão, sim, dormir no Consulado
americano…
– Mas…
– Antes…
– Gravem (detalhados…) vídeos contando que os gringos é que são os
mandantes de tudo isso aí e que vocês apenas cumpriram ordens…
– Passem (múltiplas!) cópias para
pessoas da confiança de vocês…
– Gravadas em HDs externos… e
off-line!
– Os hackers da NSA são
terríveis, rapaz!
– Ao chegar ao Consulado
americano, mostrem uma cópia do vídeo nos seus iPhones para os seus (velhos…) “anfitriões”.
#FicaDica
Ok?
Combinado?
Ou quer que envie um PowerPoint, “DD”?
Olha como sou bacana!
Beijo no coração!
(com quanto de taquicardia, “DD”?)

*

*

*

*

*

Compartilhe este post nas redes sociais:

– No Facebook.

– E no Twitter – onde estão marcados TODOS: “DD”, Aécio, Huck, Globo e… Tacla Durán!  =D

(bem como Gleisi, Wadih e Pimenta)

– Vamos facilitar o diálogo entre todas as pontas dessa trama, não é mesmo??

*


*

*

*


Extras:
(1) O “esquema” ainda segue a mesma repartição denunciada
por Tacla Durán? O valor recuperado ainda é apenas um terço do que a lei
determinaria? E segue IGUAL VALOR, “por fora”, para a “panelinha” de Curitiba?
Screen%20Shot%202017-12-23%20at%2012.01.35.png
Caraca!
Se for o caso, “DD” tá
bilionário!
E eu aqui dando conselho a ele…
pfff…
Eu é que preciso de conselho do “DD”!
Sobre como ganhar dinheiro!
(2) suspiros… muuuitos suspiros…
Screen%20Shot%202017-12-23%20at%2015.03.00.png
? ? ?
*

Atualização 14:36 – o “advogado do(s) diabo(s)” de Curitiba

*

Atualização 14:47 – AGORA, O Globo diminui o nível de “cladestinidade” da “matéria”… tava chato!




Página principal do Globo:


“País”:


*
Atualização 15:08 – Para quem não entendeu onde Luciano Huck entra na história…
Do DCM:
(…)
Huck
e Accioly são sócios em diversos empreendimentos. No Rio de Janeiro, tinham
negócios nas rádios Jovem Pan e Paradiso.
Em
2011, montaram a rede de academias
Bodytech
, presente nos maiores shoppings. Os outros parceiros visíveis são
João Paulo Diniz, Luiz Urquiza e o técnico Bernardinho (que deve sair
para governador do RJ).
Na
inauguração, Huck veio com sua lenga lenga marqueteira. “Quero ver as pessoas
fazendo coisas legais por preços acessíveis, abrindo serviços no Brasil que
antes eram para poucos. Quero contribuir, fazer tudo o que puder”,
afirmou. 
É uma
marca do sujeito. Seja lá o que ele faça com objetivo absolutamente argentário
— o que pode ser absolutamente legítimo — é propagandeado como obra social.
Um jeito de “contribuir” com o Brasil é aclarar a natureza de sua
sociedade com Accioly.
(…)
*
A esse propósito, “DD” também está chantageando André Esteves, do BTG Pactual:
É o desespero: “DD” tá atirando pra todo lado, coitado!
#solidariedade
*
Mas vem cá…
“Academia de ginástica” badalada essa, né?
Huck, Accioly, Esteves…
Será que os chuveiros do vestiário também lavam…
– … dinheiro??
– É isso o que você quer usar, “DD”? No seu “pedido” de socorro?
*
Atualização 16:26 – renovo o pedido que fiz, nesta semana, aos Deputados Paulo Pimenta e Wadih Damous, por telefone, quando os dois se encontravam no Plenário da Câmara:
– Passagens, hotéis, diárias… queremos tudo!
Tacla Duran: envie, por favor, cópia da citação que você recebeu aí na Espanha da Justiça espanhola para dar cumprimento à “Rogatória FANTASMA” enviada por Sergio Moro. Trata-se de prova material incontestável – expedida pelo Poder Judiciário da Espanha! – das fraudes processuais e mentiras em série da duplinha “DD”/ Moro – que, afinal, na qualidade de juiz, foi quem expediu a Rogatória – e não “DD”, membro do MPF!
Para entender melhor, veja trecho do (muito assistido) Programa Expresso da Manhã do dia 18/12/2017 (segunda-feira passada):
– A partir do min 10:52, principalmente.

*
*
*
*

– O registro público, nobre
parlamentar
, da tentativa chantagem!
De O Globo:
POR BELA MEGALE E THIAGO HERDY
[Romulus:
esses dois estão no esquema? Sabem que estão participando de uma chantagem? Ou
apenas cumprem ordens? Isso exime de persecução penal? Com a palavra, meus
colegas penalistas!]
23/12/2017 4:30
[Romulus:
hohoho! Feliz Natal, “DD”!]
BRASÍLIA E SÃO PAULO — A
Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Polícia Federal (PF) encontraram
novos indícios que, de acordo com os investigadores, reforçam a suspeita de que
o senador Aécio Neves recebeu propina para atuar em nome de empreiteiras na
construção da Usina de Santo Antônio, no Rio Madeira, em Rondônia.
Tema de inquérito em curso no
Supremo Tribunal Federal (STF), a acusação contra o tucano foi relatada por
ex-executivos da Odebrecht em acordos de colaboração premiada. E teve impacto
direto na delação de outra empreiteira, a Andrade Gutierrez, que foi obrigada a
esclarecer sua participação no episódio. De acordo com os executivos da
Odebrecht, Aécio recebeu R$ 50 milhões, repassados pela Odebrecht (R$ 30
milhões) e pela Andrade Gutierrez (R$ 20 milhões).
A Odebrecht sustenta a acusação
com comprovantes bancários, entregues nos últimos meses, que, segundo a
empresa, comprovam depósitos para o senador tucano, por meio de uma conta de
offshore em Cingapura, que havia sido citada por um de seus ex-executivos,
Henrique Valladares, em depoimento à PGR. A identificação do titular da conta
ainda não foi revelada, mas Valladares diz que está vinculada ao empresário
Alexandre Accioly, padrinho de um dos filhos de Aécio e integrante do grupo
mais restrito de amigos do tucano. Aécio nega as acusações. Accioly rejeita com
veemência a afirmação do delator, o único que sustentava, até aqui, seu
envolvimento.
ANDRADE GUTIERREZ REFORÇA
SUSPEITA
Nos últimos meses, no entanto, ex-integrantes da Andrade Gutierrez levaram à
Lava-Jato informações que miram novamente em Accioly: em depoimento à PF, o
ex-executivo e delator da empreiteira, Flávio Barra, confirmou o repasse de R$
20 milhões a Aécio por meio de um contrato com a Aalu Participações e
Investimentos, empresa controladora da rede de academias Bodytech que pertence
ao empresário carioca, a uma sobrinha dele e a um ex-banqueiro.
Segundo o relato de Barra, a
empresa, que leva as iniciais dos dois sócios, firmou um contrato de R$ 35
milhões com a Andrade para mascarar propina paga pela empreiteira ao tucano, em
2010. O valor seria uma contrapartida pela defesa, por parte de Aécio, então
governador de Minas, da participação da Andrade no consórcio de construção da
Usina. O delator não soube dizer por que a empresa transferiu R$ 15 milhões
além do valor previamente acertado.
 Comprovante, segundo a Odebrecht
/Users/romulosoaresbrillo/Desktop/WhatsApp Image 2017-12-23 at 12.48.43.jpeg
Extrato de transferência de
dinheiro para empresa em paraíso fiscal
Klienfield services: offshore da Odebrecht usada para pagar propina no exterior
67,350 USD: uma das parcelas pagas pela empresa
Embersy: offshore que a Odebrecht afirma ter sido usada para operacionalizar um
pagamento a Aécio Neves. Está sediada nas Ilhas Marshall
UBS AG: banco de origem suíça que presta serviços financeiros em dezenas de
países
Singapure: filial do UBS, citada pelo ex-executivo da Odebrecht, Henrique
Valladares. Ele afirma que a conta teria vinculo com Alexandre Accioly,
compadre de Aécio, que nega a acusação.
Fonte: MPF
[Romulus: faltou “mensageiro: GLOBO“!]
Ao GLOBO, Accioly confirmou o
repasse, mas negou se tratar de propina, e sim investimento da Andrade
Gutierrez na rede de academias. Segundo ele, a Andrade nunca recebeu dividendos
e “permanece como acionista” da holding controladora da Bodytech, por meio de
uma Sociedade em Conta de Participação (SCP) com a empresa Safira
Participações, que pertence ao grupo mineiro.
A Andrade, por sua vez, negou a
alegação de Accioly. Em nota, informou que “não é e nunca foi sócia na rede de
academias” e que sua relação com o empresário se restringiu à aquisição, em
2010, de uma “opção de compra futura de ações” que jamais teria sido exercida
e, por isso, perdeu a validade.
As duas empresas foram informadas
sobre a apresentação de versões contraditórias entre si, mas mantiveram o
posicionamento original. A relação entre Andrade e a holding que controla a
Bodyech não é explicitada nas demonstrações contábeis das empresas, o que
contraria recomendações do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).
Na segunda semana de abril deste
ano, mesma época em que foi tornada pública a íntegra da delação da Odebrecht,
vinculando o nome de Accioly a pagamentos para Aécio, a Andrade fez uma
alteração na Junta Comercial elevando o capital social da Safira de R$ 5 mil
para R$ 35 milhões. É o mesmo valor repassado em 2010 para Accioly. A Andrade
não quis informar se o dinheiro investido foi devolvido, nem comentar as razões
da alteração contratual.
Em seu depoimento, Barra afirmou
ter tido conhecimento da relação do contrato com um pagamento a Aécio alguns
anos depois da assinatura e disse não ter sido responsável por operacionalizar
o repasse. Também colaborador e ex-executivo da Andrade, Rogério Nora citou em
depoimento o nome de Sérgio Andrade, um dos sócios da empreiteira, como o
responsável por tratar deste assunto diretamente com Aécio.
Apesar de ter firmado acordo de
leniência em 2016 e ter 11 ex-executivos entre colaboradores da Lava-Jato, a
Andrade Gutierrez não havia apresentado às autoridades episódios de corrupção
envolvendo o ex-governador de Minas. O tema passou a integrar uma nova rodada
de conversas com a PGR e faz parte do recall do acordo, atualmente em
negociação, e é considerado sensível pela empresa, por envolver um dos sócios
do grupo.
OFFSHORE NAS ILHAS MARSHALL
A Lava-Jato também obteve novas
evidências envolvendo o pagamento de R$ 30 milhões da Odebrecht ao tucano,
relacionados ao mesmo contrato da Usina de Santo Antônio. Em depoimento à PGR,
o delator Henrique Valladares disse ter sido orientado por um emissário de
Aécio, Dimas Toledo, a depositar parte dos valores em uma conta bancária de Cingapura.
Valladares sustenta que o número da conta veio anotado em um bilhete, ao lado
do nome de Accioly. Outras contas também receberam parte dos pagamentos.
Com base em registros dos sistemas Drousys e MyWebDay ???, usados para as operações de pagamento de propina na Odebrecht,
interlocutores da empreiteira informaram a procuradores e integrantes da PF que
a conta de Cingapura é da offshore Embersy Services Limited, sediada nas Ilhas
Marshall, país com pouco mais de 60 mil habitantes, localizado no Oceano
Pacífico.
O GLOBO apurou que a empresa
funciona desde agosto de 2001 e está ativa. Há cerca de quatro meses, a
empreiteira realizou uma varredura em arquivos e entregou aos investigadores
registros de seu sistema de aproximadamente US$ 300 mil repassados à Embersy.
Extratos de movimentações
financeiras de offshores da Odebrecht obtidos pela Lava-Jato em 2015, por meio
de cooperação jurídica com autoridades de Antígua e Barbuda, já traziam
registros de transações para a Embersy, entre novembro de 2008 e janeiro de
2009, que totalizaram pouco mais de US$ 740 mil. No entanto, o MPF não sabia a
razão das transações, o que só foi possível graças à colaboração da empresa.
Independentes dos EUA desde 1986,
as Ilhas Mashall permite o anonimato de proprietários de empresas offshore. A
Lava-Jato investiga se Embersy foi usada apenas para transação de valores entre
contas ou se está, de fato, diretamente vinculada ao beneficiário final da
propina.
Nos registros internos da
empreiteira, a transferência de valores para a Embersy está vinculada ao código
“mineirinho” forma como Aécio era identificado nos sistemas de propina.
Henrique Valladares relatou que o
pagamento a Aécio foi acertado em reunião com a presença de Marcelo Odebrecht,
em Belo Horizonte, no Palácio das Mangabeiras, sede do governo mineiro, no
início de 2008. Em depoimento, Marcelo também citou o pagamento ao tucano e
disse ter estimulado Valladares, que cuidava da área de energia do grupo, a
levar os pagamentos adiante.
De acordo com o ex-presidente do
grupo Odebrecht, o objetivo dos pagamentos a Aécio era influenciar decisões da
Companhia Elétrica de Minas Gerais (Cemig) — estatal de energia mineira — e
Furnas — estatal federal — a favor da empreiteira baiana.
Na época Aécio exercia seu
segundo mandato como governador de Minas e integrava a oposição ao governo do
então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), responsável por licitar Santo
Antônio. Apesar disso, o tucano tinha influência no setor elétrico devido à sua
relação com Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas, umas das empresas sócias da
usina, além de estar a frente do estado que comanda a Cemig, outra sócia do
empreendimento.
A relação de intimidade entre Aécio
e Dimas foi citada por outros delatores da Lava-Jato, como o ex-senador
Delcídio Amaral e o lobista Fernando Moura. Henrique Valladares sustenta também
que era o ex-diretor de Furnas o responsável por levar ao seu escritório papéis
com as contas em que a propina para Aécio deveria ser depositada.
OUTRO LADO
A assessoria de imprensa do
senador Aécio Neves (PSDB-MG) negou que ele tenha recebido propina da Odebrecht
e da Andrade Gutierrez. Segundo a defesa do senador, todos os recursos
recebidos pelo tucano “estão devidamente declarados perante os órgãos
competentes, tratando-se de doações oficiais de campanha”.
Afirmou também que ele desconhece
a existência de contas no exterior e “aguarda a devida e célere apuração sobre
os fatos, inclusive sobre as graves divergências existentes nos depoimentos
prestados pelos delatores”. A assessoria do tucano não mencionou a que
divergências se referia.
Em nota, o empresário Alexandre
Accioly disse não ter qualquer vínculo com a offshore Embersy ou conta em
Cingapura. “Reafirmo que nunca recebi depósito em favor de terceiros, em conta
no Brasil, em Cingapura ou outra localidade”, escreveu.
Para ele, a informação de que a
Odebrecht indicou o nome da offshore, com conta citada na delação de seus
ex-executivos, tornada pública no início deste ano, é motivo de “alívio”. Para
Accioly, “ficará cabalmente comprovado” que ele não é nem nunca foi “titular ou
beneficiário de conta ou estrutura financeira em Cingapura”.
O empresário disse que a Andrade
Gutierrez é sócia da empresa controladora da Bodytech desde 2010, “mediante
aporte de R$ 35 milhões” e a constituição de uma Sociedade em Conta de
Participação (SCP).
VÍNCULO AFETIVO COM ANDRADE
Segundo ele, “os recursos
aportados foram integralmente investidos na sociedade, que jamais distribuiu
dividendos desde a sua constituição, tendo em vista que sempre foram e
continuam a ser integralmente reinvestidos na companhia”.
Accioly alega que a AAlu tenha
sido constituída “com o propósito de atrair investidores para fazer frente às
necessidades das empresas investidas à época”, entre elas a rede de academias.
Para o empresário, “as parcerias
realizadas com a Andrade Gutierrez envolvem não apenas vínculo de caráter
negocial, mas também de ordem afetiva” e, por isso, “foram sempre motivo de orgulho”.
Representantes da empresa alegam
que a Bodytech publica anualmente suas demonstrações financeiras em
conformidade com a Lei das Sociedades Anônimas. E dizem que o aumento de
capital foi registrado no balanço, apesar da não haver detalhamento em notas
explicativas quanto aos acionistas participantes do aumento de capital.
A assessoria da Andrade Gutierrez
informou que o acionista Sérgio Andrade não faria comentários sobre a acusação
de seus ex-executivos. A empresa informou também que não responderia a qualquer
pergunta adicional sobre o tema.
ODEBRECHT DIZ QUE COLABORA
A Odebrecht informou estar colaborando com a Justiça no Brasil ? ? ? e nos países em
que atua. Em nota, afirmou que “reconheceu os seus erros, pediu desculpas
públicas, assinou um acordo de leniência com as autoridades do Brasil, Estados
Unidos, Suíça, República Dominicana, Equador e Panamá”.
A empresa diz estar comprometida a
“combater e não tolerar a corrupção em quaisquer de suas formas”
.
????
???? 


*   *   *

– Siga no Facebook:
– E no Twitter:

Quando perguntei, uma deputada suíça se definiu em um jantar como “uma esquerdista que sabe fazer conta”. Poucas palavras que dizem bastante coisa. Adotei para mim também.

*

Achou meu estilo “esquisito”? “Caótico”?

– Pois você não está só! Clique nos links (4 volumes já!) e chore as suas mágoas:

  

*
A tese central do blog:

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.