(Telenovela) “Guerra híbrida BRASIL”: CAPÍTULO “O Celular”; ARCO “A Saída de Moro”

Telenovela “Guerra híbrida BRASIL”: CAPÍTULO 28/mai – “o celular”; parte do ARCO “interferência na PF/ casus belli da saída de Sergio Moro do governo”

Como dizia o slogan daquele programa dos anos 1990, “o final, você decide!”
Ou quase…
Sim, porque tal qual telenovela da Rede Globo (diferentemente das da Televisa, no México, p.e.), a partir da sinopse original a trama é ajustada de acordo com a reação do público (o que dá ou não audiência), numa relação dialética.
Na telenovela “Guerra Híbrida Brasil”, pesquisas qualitativas nos diferentes segmentos sociais – a serem operados em cismogênese.

Telenovela “Guerra híbrida BRASIL”: CAPÍTULO 28/mai – “o celular”; parte do ARCO “interferência na PF/ casus belli da saída de Sergio Moro do governo”
 
Segue a tática da novelização, levando a um “clímax”.
(fabricado)
 
PIG/ PIGuinho “vermelho” (duas pernas da “pinça”) martelam nesta manhã narrativa:
(1) “Bolso visitou Aras dias atrás”;
(2) “Aras dá parecer negativo”;
(3) Contexto: “Aras, indicado a PGR fora da lista tríplice por Bolsonaro (retorna o favor)”.
 
Notar (no print): o pedido de apreensão do celular é DOS PARTIDOS DE ESQUERDA.
Celso de Mello AINDA não deferiu.
Apenas, como manda o processo, encaminhou, antes de decidir, para parecer prévio do MPF (o “fiscal da lei”).
(coincidentemente, gerando um “gancho” para uma semana inteira de… novela)
Esse parecer NÃO vincula o juiz.
Então, (apenas) agora, Celso de Mello pode DEFERIR – ou INDEFERIR – o pedido… dos PARTIDOS DE ESQUERDA.
O ESQUEMA tem, agora, as duas opções.
(apenas?)
Lembrando que se ‘eles’ quiserem botar pra quebrar, ‘Celso’ pode determinar a entrega do celular e…
– … o Heleno recusar(!)
(como ameaçou, inclusive)
“Crise institucional!”
(“Art. 142!”?)
Ou… “em nome de evitar a crise institucional”… finalmente – como com a reunião – sai o celular…
– … com salmos bíblicos, bandeiras do Brasil e desabafos sobre como o “establishment” não deixa Jair governar!
(“e salvar o Brasil”)
 
Se forem por outra via (há várias, alternativas e/ ou cumulativas), de repente encerram esse ARCO (“saída de Moro/ Reunião/ Celular”) e passam a outro.
(“Corona”, de novo?)
 
Aí Celso “decano” – o nosso “quase salvador” – sai de cena.
E fica o Alexandre “The Rock” Moraes??
Ainda mantendo essas duas pernas da pinça no primeiro plano?
O “enfrentamento” (sic) juristocracia “versus” casta militar?
*
Como dizia o slogan daquele programa dos anos 1990, “o final, você decide!”
Ou quase…
Sim, porque tal qual telenovela da Rede Globo (diferentemente das da Televisa, no México, p.e.), a partir da sinopse original a trama é ajustada de acordo com a reação do público (o que dá ou não audiência), numa relação dialética.
Na telenovela “Guerra Híbrida Brasil”, pesquisas qualitativas, de repente, nos diferentes segmentos sociais – a serem operados em cismogênese.
“SSS” (“eco-terroristas” da Sociedade ‘SECRETA’ Silvestre” (!)), p.e., não foi sucesso de público.
Assim, como as personagens impopulares numa telenovela de Silvio de Abreu também dos anos 1990, sumiram na “explosão de um shopping center”.
*
Mas o final, “você decide”?
Mesmo?
Médio…
Como no antigo programa da Rede Globo, ‘eles’ dão as ‘alternativas’ sobre as quais se ‘escolhe’.
Domínio de espectro total.
Operações em pinça – em cascata.
*
E “que fazer”?
A única saída é…
– … SAIR DO ROTEIRO!
Como?
Expondo o mesmo!
E o roteirista!
*
Mas…
– … quem vai botar o guizo no gato?
*
Bem… ninguém que tenha a pretensão de ser “MDB da Nova Ditadura”.
Afinal, trata-se de PERSONAGEM fundamental, indispensável, no FOLHETIM.
E bem remunerado!
*
*
*
P.S.: Diz Piero Leirner:
“Muito bem sintetizado pelo Romulus Maya:
 
– Quando a jusristocracia lavajatista estava arrebentando os setores estratégicos no Brasil (engenharia, energia, óleo e gás e defesa) o pessoal dizia: “os militares nacionalistas vão impedir isso”.
 
– Quando os militares deixam evidente que vão entrar arrebentando e a imprensa finalmente nota que tem algo de estranho, o pessoal diz: “a juristocracia lavajatista vai nos salvar de um golpe militar”.
 
A conta fecha minha gente? Dá para perceber que isso é uma “pinça”, as duas pernas estão conectadas na mesma base? Dá para perceber que sempre tem alguém fazendo o papel de “bad cop” e outro de “good cop”? (ver print abaixo de minha tese para entender “bom policial/mau policial como estratégia)
 
Aí a pergunta: dá para ter certeza que com a solução lavajatista vai ser melhor? Dá para pelo menos lembrar o que eles fizeram no verão passado? Pode ser um alívio rápido, mas beber água do mar prá matar a sede não é uma boa ideia…”

*

*

*

Canal do DE no Telegram: https://t.me/duploexpresso
Grupo de discussão no Telegram: https://t.me/grupoduploexpresso
Canal Duplo Expresso no YouTube: https://www.youtube.com/DuploExpresso
Romulus Maya no Twitter: https://twitter.com/romulusmaya
Duplo Expresso no Twitter: https://twitter.com/duploexpresso
Romulus Maya no Facebook: https://www.facebook.com/romulus.maya
Duplo Expresso no Facebook: https://www.facebook.com/duploexpresso/
Romulus Maya no Linkedin: https://www.linkedin.com/in/romulo-brillo-02b91058/
Romulus Maya no Mastodon: https://mastodon.social/@romulusmaya
Grupo da Página do DE no Facebook: https://www.facebook.com/groups/1660530967346561/
Romulus Maya no Instagram: https://www.instagram.com/romulusmaya/
Romulus Maya no VK: https://vk.com/id450682799
Duplo Expresso no Twitch: https://www.twitch.tv/duploexpresso
Áudios do programa no Soundcloud: https://soundcloud.com/duploexpresso
Áudios no Spotify:
https://open.spotify.com/show/5b0tFixIMV0k4hYoY1jdXi?si=xcruagWnRcKEwuf04e1i0g
Áudios na Rádio Expressa: https://t.me/radioexpressa
Link para doação pelo Patreon: https://www.patreon.com/duploexpresso
Link para doação pela Vakinha: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/643347

 

 

 

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.