Liberais, PSOL, lutas identitárias e o “autoritarismo”

Luiz Carlos de Oliveira e Silva (Professor de filosofia)

  1. Wesley Teixeira, candidato do PSOL à Câmara dos Vereadores da cidade fluminense de Duque de Caxias, recebeu apoio financeiro de Armínio Fraga para a sua campanha, fato que vem gerando forte condenação por setores do partido. Wesley é preto, e há os que veem racismo nas críticas dirigidas ao candidato.
  2. A grana da doação polêmica saiu do bolso de um dos mais eminentes próceres da ala, digamos, civilizada, do rentismo, e foi justificada assim por Pedro Abramovay, diretor da “OpenSocietyFoundations” para a América Latina, que fez a “ponte” entre o doador e o beneficiado:
  3. “Estou convencido que para derrotar o autoritarismo e construir um projeto progressista, precisamos ver negros e mulheres ocupando os espaços de poder e liderando essas mudanças. Por isso é tão necessário olhar e apoiar negros e mulheres nessas eleições. (…) Organizei (…) uma reunião online com algumas pessoas do topo da pirâmide no Brasil, que eu sei que estão preocupadas com o crescimento do autoritarismo no Brasil e também com o racismo.”
  4. Esta declaração somada ao fato de o candidato ser de um partido de esquerda fornecem um documento precioso, porque esclarecem muita coisa acerca da conjuntura atual. Podemos ver ali três esclarecimentos muito importantes:

Esclarecimento (1): A plutocracia liberal esclarecida não vê relação de necessidade entre “autoritarismo” e a atual configuração do capitalismo. Por isto, a plutocracia liberal esclarecida considera ser a inclusão social e política das mulheres e dos pretos uma contraposição efetiva ao “autoritarismo”.

Esclarecimento (2): Setores dos movimentos identitários de esquerda também não veem relação de necessidade entre “autoritarismo” e a atual configuração do capitalismo. Por isto, setores dos movimentos identitários de esquerda também consideram ser a inclusão social e política das mulheres e dos pretos uma contraposição efetiva ao “autoritarismo”.

Esclarecimento (3): A plutocracia liberal esclarecida e setores dos movimentos identitários de esquerda consideram ser possível contrapor-se ao autoritarismo sem o enfrentamento da questões econômicas de fundo. Nisto eles formam um par…

  1. O fato de Wesley apresentar a sua candidatura pelo PSOL e o fato de que as críticas que recebeu terem sido consideradas racistas dizem muito acerca (a) dos impasses que atravessam o partido, e (b) da natureza mesma das lutas identitárias.
  2. As lutas identitárias são, por definição, lutas por reconhecimento. Por isto, elas não são lutas “reformistas”, já que o acolhimento de suas reivindicações não implica mudanças na economia. As lutas identitárias são, portanto, lutas “transversais”, com potencial para se associarem às mais diversas agendas, à direita, ao centro e à esquerda.
  3. Nada há de estranho, portanto, na contribuição de um prócer da plutocracia esclarecida em favor de um candidato preto do PSOL. Armínio fica bem na fita, e Wesley mostra que o PSOL não é o bicho-papão que a extrema-direita diz que ele é. É um jogo de ganha-ganha…
  4. Nesta singela contribuição financeira temos um pequeno ensaio para a “aliança antifascista”, tão desejada por tantos, de FHC a Freixo… Sobretudo agora quando Bolsonaro descobriu o caminho-das-pedras que levou Lula ao paraíso eleitoral que experimentou.
  5. As lutas identitárias querem, em geral, reconhecimento, limitando-se a isto. Trata-se de uma agenda urgente e necessária. Mas, por ser isto – luta por reconhecimento – as lutas identitárias não confrontam as questões de fundo, sobretudo as questões de fundo da economia. São lutas liberais…
  6. Há quem, na esquerda, critique as lutas identitárias que hegemonizaram a nossa agenda… Eu não me incluo dentre esses. O problema não está nas lutas identitárias, segundo penso… O problema está, a meu ver, no fato de a esquerda ter-se, praticamente, limitado, nestas últimas décadas, às lutas identitárias e a outras políticas de “inclusão social”, renunciando, lamentavelmente, ao enfrentamento das questões de fundo, sejam as da política, sejam as da economia. E deu no que está dando…

__________________________________________

Siga o Duplo Expresso em várias plataformas:

Canal do DE no Telegram

Grupo de discussão no Telegram

Canal Duplo Expresso no YouTube

Romulus Maya no Twitter

Duplo Expresso no Twitter

Romulus Maya no Facebook

Duplo Expresso no Facebook

Romulus Maya no Linkedin

Romulus Maya no Mastodon

Grupo da Página do DE no Facebook

Romulus Maya no Instagram

Romulus Maya no VK

Duplo Expresso no Twitch

Áudios do programa no Soundcloud

Áudios no Spotify

Áudios na Rádio Expressa

Link para doação pelo Patreon

Link para doação pela Vakinha

Autores

Facebook Comments

Redação D.E.

Redação do Duplo Expresso - onde "a verdade chega primeiro". Bem... às vezes primeiro, segundo, terceiro e... último! Único! rs

Redação D.E. has 19 posts and counting. See all posts by Redação D.E.