Expresso da Meia-Noite – Caderno Semanal (14 a 20/05)

 

Por Ricardo Guerra

Caros Expressonautas,

Tenho o prazer de convidá-los para o embarque na quarta edição do Caderno Semanal do Expresso da Meia-Noite (período de 14 a 20 de maio de 2020). 

Aproveitem, a viagem já vai começar!

  • A semana iniciou com os Expressonautas sendo brindados com uma grata surpresa: a criação do Canal Saud-Expressa por Romulus Maya, cujo objetivo é estimular e divulgar conteúdos sobre práticas saudáveis.
  • Em seguida, surgiu uma discussão sobre teorias conspiratórias que gerou um interessante comentário no grupo: “para entender questões relacionadas ao domínio global não é preciso recorrer a teorias conspiratórias, basta estudar Karl Marx.”
  • Os retrocessos que agora acometem o Brasil, foram colocados em discussão e foi identificada uma relação entre os acontecimentos de 1964 com 2016 e de 1968 com 2020. Também foi feito um paralelo entre o que estamos vivendo neste início de século e fatos do século XIX e ficou pontuada a falta que nos faz um Antônio Conselheiro para enfrentar os herdeiros dos antigos escravocratas, que são os que dão as cartas e mandam hoje no país. Uma tese sobre por que estão fazendo do país uma verdadeira terra arrasada foi discutida e aventou-se a possibilidade de existir um movimento de articulação com os EUA para trazer as fábricas americanas instaladas na China para cá, transformando o Brasil no novo quintal fabril dos EUA. 
  • Ainda sobre esse tema, os Expressonautas ressaltaram que as consequências dessa possível articulação entre EUA e Brasil seria a destruição total da nossa capacidade produtiva e de Desenvolvimento Soberano. E o que é pior: como o nível de desemprego no Brasil é altíssimo, corremos o risco desse movimento ser visto de forma positiva pela sociedade.
  • Uma frase atribuída a uma filósofa norte-americana do início do século XX (Ayn Rand) questionando o rentismo, já naquela época, gerou mais crítica a atual forma de agir da esquerda brasileira, que dá espaço e voz para economistas liberais, que no fundo, de acordo com os Expressonautas, são tão neoliberais quanto Guedes, Meirelles, Levy e Armínio Fraga. Ficou reforçada a posição de que esse campo político, aqui denominado ex-querda, não faz uma verdadeira oposição ao sistema.
  • O controle das mídias foi tema de debate e a necessidade de se diversificar a abrangência de inserção nessa área, para levar informação qualificada para a população, foi discutida. A preocupação quanto aos cuidados necessários com exposição nesse contexto foi reforçada.
  • Uma triste constatação quanto ao aumento exponencial no número de mortes indígenas e o fato do governo dificultar e negar ajuda aos cidadãos brasileiros, nesse momento de crise, levaram ao entendimento que Bolsonaro/Guedes são agentes de um genocídio, e, portanto, não é hora de grandes embates teóricos, muito menos relacionados a questões referentes a economia: é preciso agir, pois o Povo está morrendo de fome! 
  • Foi ressaltado que a preocupação com a vida deve vir antes de qualquer outra coisa e que a economia só vai ser salva se cuidarmos da vida humana – Não há recuperação econômica possível, fora desse cenário.
  • Então, foi feita uma chamada para as pessoas se engajarem em ações de apoio e ajuda ao próximo e foram destacados projetos e atividades com participação de Expressonautas visualizados no grupo.
  • O debate sobre ações de enfrentamento a Pandemia continuou e foi pontuando outros aspectos da falta de responsabilidade administrativa e do desrespeito do governo com povo: Enquanto Líderes mundiais pedem aumento no investimento em pesquisas e medicamentos e vacinas sem patentes para tratamento do covid-19, o (des)governo brasileiro retira recursos da saúde, promove sucateamento do SUS (priorizando a iniciativa privada) e insiste em investir na produção de um medicamento ineficiente e com uma infinidade lista de efeitos colaterais.
  • Sobre esse assunto, os Expressonautas estabeleceram questionamentos sobre os interesses ocultos por trás desse crime contra o patrimônio público e contra o povo brasileiro e sobre os motivos que levaram o Presidente a substituir dois ministros e editar uma MP para tentar se proteger contra um processo por improbidade na tentativa de forçar a liberação de um medicamento ineficaz. 
  • Nesse momento, houve um chamado à luta, cuja palavra de ordem foi: “Não há tempo a perder! Foi exaltada a necessidade das organizações populares e dos partidos de esquerda agirem imediatamente e suscitado engajamento:
    • Na cobrança pelo aumento imediato das verbas para a saúde; Distribuição gratuita de máscaras e formação de conselhos populares de fiscalização do serviço de saúde; Construção de abrigos para os moradores de rua e formação de comitês de controle do abastecimento e especulação com gêneros de primeira necessidade; Proibição de demissões, de cortes de luz e água; Aumento dos valores do bolsa-família e extensão do plano emergencial para contenção da crise, além do estabelecimento de sistema de fácil acesso para testes. 
  • A campanha NEM BOLSONARO, NEM MOURÃO: QUEREMOS NOVA ELEIÇÃO! Movida pela Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político, lançada sexta-feira dia 15/5/2020, foi compartilhada no grupo.

Por fim, foi discutido que o marco que regula a atual crise é de fundo moral e está refletido na questão social derivada do sistema capitalista, que deteriora todas as relações da vida social e não valoriza a vida.

Espero que tenham gostado. Participem, comentem e convidem os seus amigos a fazer o mesmo.

Forte abraço!

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments