As manifestações pró-Bolsonaro foram do tamanho da nossa “resistência”

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

Gatos pingados saíram às ruas para apoiar Bolsonaro. Qual a novidade nisso? Todos sabem que Bolsonaro é o filho do cruzamento da Globo com a Lava Jato. Todos sabem que Moro é um fascista que usou a toga (made in USA) para consolidar a sua estreia na política como cabo eleitoral e, posteriormente, como ministro disso que somos forçados a chamar de governo.

Qual a razão da “esquerda” achar que Moro – sócio de Bolsonaro e Globo no desmonte do Brasil – chamaria, no próprio Twitter, aquele desfile de zumbis de outra coisa que não “a festa da democracia”?

Sabemos todos que Bolsonaro é resultado também da omissão estratégica da Globo e da justiça. Tapar os olhos diante da diarreia verbal deste energúmeno foi parte importante da campanha para que ele chegasse à presidência.

E a “esquerda”, o que faz? Mantém o aguerrido espírito de “resistência meme”. Publica piadas, fotos que ampliam o alcance de um agrupamento de idiotas forjados nos debates com robôs das redes sociais e que, por isso, agem como robôs/humanos.

Vi num site autointitulado “de esquerda” uma manchete que separa a Globo de Bolsonaro. Vi uma foto de Caetano Veloso com uma camisa “Orange Queiroz”. Vi o “cafetão do Bahamas” como a expressão máxima do que é o Brasil desejado pela Globo, por Moro, Bolsonaro e a “Esquerda Veloso”.

Perdemos a “guerra híbrida”! A reconstrução nacional passa necessariamente pela compreensão de que não temos representação política organizada para reagir à ocupação das instituições por infiltrados eleitos estrategicamente pelos EUA e outros piratas das nossas riquezas.

É preciso encarar a dura realidade de que as manifestações pró-Bolsonaro foram do tamanho da nossa “resistência”. Somos tão pequenos quanto o apoio dado ao energúmeno na presidência. Somos um meme da nossa própria limitação.

O resgate do nacionalismo, sem xenofobia, é o caminho a seguir. Todo o resto é ciranda de quem finge revolta, mas que ainda consegue viver distante da miséria e violência que é construída a passos largos.

A consciência da importância do resgate da soberania popular será o combustível para a necessária transformação. A realidade atual é insuportável. A vida tem sido muito dura para milhões de desempregados e abandonados. Precisamos resgatar o espírito da solidariedade e parar de se esconder nos memes das redes sociais.

Acha importante o nosso trabalho? Fácil - clique no botão abaixo para apoiá-lo:

Facebook Comments

Romulus Maya

Advogado internacionalista. 10 anos exilado do Brasil. Conta na SUÍÇA, sim, mas não numerada e sem numerário! Co-apresentador do @duploexpresso e blogueiro.