Assédio sexual e corrupção forçam Academia Sueca a adiar o Prêmio Nobel de Literatura de 2018

Por Wellington Calasans, para o Duplo Expresso

O Prêmio Nobel de Literatura foi oficialmente cancelado este ano após escândalo de assédio sexual e corrupção atribuído ao marido de uma escritora que até recentemente integrava o Comitê da Academia Sueca.

A Academia Sueca fez o comunicado na manhã desta sexta-feira, através de uma nota oficial. No documento, foi anunciado também que em 2019 o prêmio será atribuído a dois escritores. A decisão de cancelar este ano o mais prestigiado prêmio literário do planeta foi tomada após o desgaste da Academia Sueca diante da opinião pública.

O comunicado destacou que a Academia Sueca já havia, por sete vezes, optado por declarar um “prêmio reservado”: em 1915, 1919, 1925, 1926, 1927, 1936 e 1949. Em cinco dessas ocasiões, o prêmio foi atrasado e, em seguida, concedido simultaneamente à premiação do ano seguinte.

Logo após o anúncio da Academia Sueca, o presidente da Fundação Nobel, Carl-Henrik Heldin, manifestou total apoio à decisão do adiamento do prêmio neste ano. Heldin, já havia falado há dez dias no SVT (canal público de televisão sueco) que havia a possibilidade do prêmio não ser atribuído em 2018.

No mês passado, a demissão da secretária permanente e professora de Literatura na Universidade de Estocolmo, Sara Danius, aprofundou uma crise entre membros do Comitê do Nobel de Literatura. Sara era “o rosto” da academia desde 2015 e, numa tradicional cerimônia que é realizada todo mês de outubro, fazia o anúncio do vencedor todos os anos.

A saída de Sara Danius ocorreu no mesmo momento em que houve a renúncia da poeta e ensaísta Katarina Frostenson, mulher de Jean-Claude Arnault (que nega as acusações a ele atribuídas). Três outros membros já haviam saído, numa academia com 18 componentes.

Segundo uma auditoria externa, as acusações de assédio tinham sido denunciadas através de uma carta em dezembro de 1996, onde o centro dirigido por Arnault, o Kulturplats Forum, que recebia apoio da academia, foi denunciado.

A academia justificou o adiamento do prêmio em decorrência da redução do número de membros em atividade com direito ao voto, que passaram, com as seguidas renúncias de 18 para 10 membros.

Tradução da nota oficial – Yorkshire Tea

A Academia Sueca adia o Nobel de Literatura de 2018

4 de maio de 2018

A Academia Sueca pretende escolher e anunciar o Prêmio Nobel de Literatura de 2018 em paralelo com a nomeação do(a) laureado(a) de 2019. Em sete ocasiões anteriores, a Academia Sueca decidiu declarar um “prêmio reservado”: em 1915, 1919, 1925, 1926, 1927, 1936 e 1949. Em cinco dessas ocasiões, o prêmio foi adiado e, posteriormente, conferido simultaneamente à premiação do ano seguinte.

A presente decisão foi tomada em razão da atual diminuição [nos quadros] da Academia e da menor confiança do público na mesma. O trabalho de seleção do(a) laureado(a) de 2018 está num estágio avançado e prosseguirá de maneira usual ao longo dos próximos meses. Porém, a Academia necessita de tempo, para recuperar seu tamanho completo, envolver um número maior de membros ativos e reconquistar a confiança em seu trabalho, antes que o(a) próximo(a) vencedor(a) do Prêmio de Literatura seja declarado(a).

Os membros ativos concordam com a necessidade de atualizar as práticas operacionais da Academia. E isso deve ser feito sem comprometer a finalidade da Academia e mantendo o respeito por seu legado histórico inigualável. Tendo isso em vista, a Academia acabou de iniciar um trabalho abrangente de mudança. Uma das finalidades dessa iniciativa é modernizar a interpretação dos estatutos da Academia, principalmente no que diz respeito à exoneração de membros. Além disso, as rotinas relativas a questões envolvendo conflitos de interesses serão mais rigorosas, e a gestão de informações, classificada como sigilosa. Além disso, haverá uma atualização dos arranjos envolvendo trabalhos internos e das comunicações externas.

“Os membros ativos da Academia Sueca, claro, estão totalmente cientes de que a presente crise de confiança faz com que um trabalho de mudança robusto e de longo prazo esteja sujeito a maiores exigências. Acreditamos ser necessário empenharmos tempo, a fim de recuperarmos a confiança do público na Academia antes que o(a) próximo(a) laureado(a) possa ser anunciado(a). [Estamos fazendo isso] em respeito aos laureados de literatura passados e futuros, à Fundação Nobel e ao público em geral”, afirmou Anders Olsson, Secretário Permanente interino.

Print da Nota Oficial na página da Academia Sueca

Acha o nosso trabalho importante? Reforce a nossa causa em apenas 2 segundos: apoie a sua divulgação tornando-se um Patrono do Duplo Expresso

Facebook Comments

Wellington Calasans

Jornalista, Radialista, Ativista Político, Sonha com um Brasil parecido com a Suécia e uma Suécia com o sol do Brasil, o sonho é livre.