Decisão da ONU (Parte I) – A direita sempre foi golpista. E a esquerda?

A sofisticação deste golpe em curso está no fato de ter sido possível até sexta-feira (17) instaurar e manter o Regime Temer com ares de normalidade. A repetição do mantra “as instituições estão funcionando normalmente” era uma prática à direita e à esquerda, por via da mídia hegemônica – uma concessão estatal a serviço dos interesses internacionais – ou na “Globosfera”, segmentos apresentados como “de esquerda” para “pacificar” o militante ávido por atos que ponham um ponto final neste cenário circense de normalidade.

Ler mais

Temer – mais Lula – e o inimigo (comum) a neutralizar: Barroso!

O – verdadeiro – alvo: Barroso tenta fazer Temer refém, através da prisão de seus dois operadores, para virar votos no STF em favor da prisão de Lula. O inimigo de Barroso é a política. Toda ela. Pouco se lhe dá – no longo prazo – se oligárquica ou popular, sujinha ou cheirosa. O projeto é a substituição da democracia, o governo da maioria, pela “noocracia à brasileira”, o governo de um triunvirato não eleito: finança internacional (mais Deep State americano), cartel midiático brasileiro e, como operadores de campo, os “juristocratas”.

Ler mais