Escola Sem Partido

Uma das grandes observações do professor e antropólogo, Darcy Ribeiro, é: “A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto”. Nada mais moderno do que esta afirmação.
Dentre a onda conservadora que atinge inapelavelmente o Brasil, o movimento ultra-obscurantista denominado “escola sem partido” segue o intuito nefasto da edificação de um Estado policial e autoritário.
O controle do pensamento e a censura sempre foram objetos dos ditadores e déspotas que se utilizam destes meios para doutrinação e amordaçamento dos seus subjugados.

Ler mais

Caminhão de intervenções: a geleia ideológica dos caminhoneiros e os militares

O discurso mais à direita, de caminhoneiros clamando por “intervenção militar”, vem de áreas com grande contingente do Exército, acompanhado de um conjunto de institutos e associações que juntam principalmente professores, advogados e militares dessa Força. Note-se que a Marinha e a Aeronáutica não andam distribuindo tuítes à vontade por aí, como faz o Comandante do Exército. Não é difícil perceber por que a capilaridade que isso tudo gera vai de encontro e passa a andar de mãos dadas com o setor Agro – e agora com a adesão do setor Trans. Aliás, hoje não há dois setores mais dependentes um do outro que esses.
Essas coincidências se casam com uma noção ancestral de que, enfim, o Estado deve se resumir à segurança. “Contra os impostos altos e a roubalheira”. Trata-se de trocar a ideia de que o Estado possui o monopólio da violência legítima pela ideia de que o monopólio da violência legítima possui o Estado!
Às favas com a ideia de um domínio nacional sobre a cadeia do Petróleo, da Engenharia Pesada, da Energia, do Setor Nuclear, etc. Basta – apenas – descer o pau em “comunista” (sic). E, é claro, cobrar pouco dos ricos pelo serviço.

Ler mais