Eleições no Brasil de 1945 a 2018: o comportamento do eleitorado

Pretendo apresentar informações e dados eleitorais relativos às 11 eleições presidenciais ocorridas no Brasil desde 1945 (esta será a 12ª eleição), tais como: eleitores inscritos (aptos a votar), abstenções, votos dados em branco ou anulados, votos válidos e a votação nominal dos vencedores nesses pleitos. Voltarei a abordar um conceito que venho chamado de “índice ABN” (abstenções, brancos e nulos), que são os votos “jogados fora”, ou desperdiçados ou, como dizem alguns autores “votos de alienação eleitoral”. Por fim, introduzo um conceito novo no Brasil, mas muito falado em outros países, que é a chamada representatividade do(a) eleito(a), ou seja, uma comparação de sua votação direta com o total de inscritos. E as conclusões com relação à representatividade dos e das eleitas são estarrecedoras.

Ler mais

Avaliação do primeiro debate da Band

Fiquei impressionado com a pobreza do debate. Isso só fez destoar a ausência forçada e ilegal do ex-presidente Lula. A lei eleitoral obriga que haja igualdade entre os candidatos na cobertura da imprensa e nos debates que ela promove.
Não podemos nem culpar os candidatos pela miséria do debate, porque essa pobreza é culpa da limitação do modelo escolhido pela Band. Um minuto e pouco para responder e 45 segundos para réplica e tréplica é tempo insuficiente para desenvolver qualquer ideia, por mais simples que seja.
O máximo que se consegue fazer é obrigar os candidatos a repetir frases decoradas e preparadas pelos seus marqueteiros para caber em uma janela de poucos segundos.

Ler mais

Comícios – Amigos de Lula Livre: vamos organizar comícios pedindo Libertação de Lula?

O imbróglio do dia 08/07 consolidou a muitos, em especial, aos duvidosos, a percepção da perseguição e prisão política de Lula! Internacionalmente isto já é um fato real!
Para os mais nacionalistas, é clara situação de “lawfare”. Semelhante ao ocorrido em Honduras/Paraguai só para lembrar casos recentes.
Percebe-se pelos índices crescentes de Lula nas pesquisas, a inclusão de novos indignados mesmo daqueles que ainda tinham dúvidas da culpabilidade de Lula. Pelas pesquisas Lula já ganharia no 1° turno, então estamos falando em maioria.

Ler mais

Uma semana decisiva

Esta semana apresenta uma tarefa ainda mais importante do que a preparação da nossa participação na Convenção e o planejamento e organização da campanha, que deverá estar nas ruas na segunda-feira próxima, dia 6 de agosto. Refiro-me à tarefa que cabe a todos os brasileiros conscientes de fazer com que os senadores e senadoras recebam, nesta última semana do recesso parlamentar, as informações necessárias para que recusem-se ao papel de traidores da Pátria na votação do projeto criminoso que entrega o filé do filé do pré-sal às estatais estrangeiras e às multinacionais do petróleo.

Ler mais

Prognósticos sobre as eleições de 2018

Esta não será a primeira vez e espero que não seja a última, em que escreverei comentários sobre as próximas eleições antes, claro, que elas ocorram (comentar depois quase que não tem graça). Por isso o uso do termo “prognósticos”, e não previsões. Aqui apontarei tendências, possibilidades, cenários. Há muito de intuição, mas de análise com base em fatos, dados e pesquisas. O que farei aqui é tudo, menos previsões. Entendam dessa forma.

Ler mais

Eleições 2018: “Esquerda x Esquerda”. Falta um pequeno detalhe: combinar com o povo

A direita já se uniu, tudo de mais retrógrado, entreguista e lesa-pátria já se encontra do lado de lá! Chegou a hora de fazermos uma aliança do “lado de cá” pelo direito de Lula ser candidato! O povo deve ser respeitado, a esquerda deve se unir e lutar por duas frentes como uma pauta única: Lula livre e o direito de Lula ser candidato.  A esquerda deve estar toda unida com o povo.

Ler mais

Celso Amorim: precisamos de um “Plano B”? Não!

O Duplo Expresso recebeu relatos sobre uma reunião na última semana entre membros da alta Finança, em SP, em que a hipótese de uma saída para a crise – com Lula como timoneiro – chegou a ser “aventada”. É apenas um primeiro passo, ainda. Algo no terreno das especulações. Mesmo porque careceria do principal: assentimento dos verdadeiros patrões do Golpe, fora do Brasil.
Mas, mais que tudo isso, trata-se do reconhecimento de que o “Lula de A a Z” – renitente – está trazendo frutos; com a repulsa das bases a alternativas “B” já passando a ser assimilada pelo outro lado.
Pois é nosso papel tornar para o tal “Mercado” essa opção relativamente mais barata/ previsível do que a alternativa.
E isso incluiu, de nossa parte, impedir a viabilidade da hipótese de o Golpe, eventualmente logrando impedir a candidatura de Lula, conseguir escolher o (duplamente) “candidato” do PT: não apenas alguém que não encarnaria uma “anti-candidatura”, como ainda alguém que não teria a força de caráter para torna-lo imune a tentativas de cooptação pela vaidade ou por pressão ou ameaça; ou que não tivesse um forte compromisso com o coletivo e firmeza ideológica e nacionalista.
Pois é justamente aí que entraria o (eterno) Chanceler Celso Amorim.

Ler mais

A ressaca da Copa, o “complexo de vira-lata” e as Eleições 2018

O que a ressaca da Copa, o “complexo de vira lata” e as eleições 2018 têm em comum? A resposta está em você. Ela é um teste para que você mesmo possa medir o seu grau de alienação ou capacidade de resistência ao massacre midiático que um receptor, vítima do monopólio da comunicação social, está exposto diariamente.
Agora, vivemos aquele momento onde o espólio da ressaca pela “derrota do Brasil” tem sido disputado a tapas por esta mesma mídia hegemônica que ajuda a criar no imaginário do cidadão brasileiro uma série de conceitos, sentimentos e emoções no bojo de uma estrutura que controla e usa esses sentimentos e emoções para atender aos próprios interesses e conveniências.

Ler mais

A voz do povo e o desespero dos coadjuvantes

Lula é o representante ideal para praticamente metade dos brasileiros, 40% nas pesquisas. A quem interessaria que fosse ele (Lula) a ser sacrificado e excluído das urnas? Aceitar essa barbárie é um atentado contra a democracia. Apoiar, legitimar e aceitar que Lula siga preso e perca seus direitos políticos, impedindo milhões de brasileiros de votar nele, é um ato de guerra. Uma guerra contra o povo.

Ler mais

A transferência de Lula. Ou a síndrome do petista convencido

A previsão é livre. Mas só o psicótico tem certeza sobre tudo. A certeza, quando não há base sólida para ela, trava o diálogo com aqueles que têm dúvidas, impede de ouvir e, pior, inibe ou desvia o foco da ação. Faz bem sustentar uma certa ignorância.

Ler mais

Tensão máxima – rompimento da corda definirá se teremos eleições em 2018

Pesquisas de opinião pública são hoje apenas um atestado de reprovação da justiça, emitido pelo povo. É dramática a situação daqueles que lutam pelo Brasil Colônia. De um lado, a total ausência de um candidato capaz de ser visto como viável para uma disputa eleitoral. Do outro lado, a sombra de um Lula vivíssimo que, mesmo preso (político), é a única esperança de um Brasil soberano para a maioria esmagadora dos brasileiros.

Ler mais